sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

VÍDEO COMPLETO DO Q&A DE “ALIANÇA DO CRIME”

Vídeo completo do Q & A de "Aliança do crime" (Missa Negra) com Johnny Depp, Joel Edgerton, Dakota Johnson, Julianne Nicholson EO Diretor Scott Cooper. O evento ocorreu no dia 18 de Novembro em Los Angeles PARA O Diretores Guilds of America.



via DeppLovers

ALIANÇA DO CRIME: O TRIUNFO DE JOHNNY DEPP E SCOTT COOPER

Tradução da entrevista para a GQ:
Scott Cooper é um “gênio colaborativo”, diz Johnny Depp.
Johnny Depp é um “tesouro nacional”, diz Scott Cooper.
Eles estão amando um ao outro – e por que não? O filme que estamos falando – Aliança do Crime, a história de Jimmy “Whitey” Bulger, o infame chefe do crime cuja relação manipuladora com o FBI lhe permitiu comandar o sul de Boston com punho de ferro – foi um triunfo mútuo.


johnny-depp-1215-01
Pedidos para explicar a admiração de duas vias em uma tarde recente em Los Angeles, ambos o ator e o diretor apontaram para o mesmo momento no filme. A cena se desenrola atrás de Depp – cuja transformação no vampírico Bulger de olhos azuis é tão completa que poderia muito bem ser um ato de desaparecimento – que devorou um bife de jantar na casa de seu guardião do FBI, John Connolly, com quem ele cresceu na velha vizinhança. Cada homem acredita que ele está vencendo o outro, mas na verdade Bulger segura as rédeas, o que ele prova quando vai ao andar de cima para fazer uma visita para a esposa de Connolly. Nenhum sangue é derramado, mas o que acontece a seguir é a coisa mais perturbadora no filme.
“Ele meio que a atormenta com o rosto,” diz Cooper, relembrando a carícia agressiva que Depp faz na atriz Julianne Nicholson. “É violento sem nenhum armamento.”
Depp balança a cabeça, dando um trago no cigarro que ele acabou de enrolar. “Quando nós filmamos, eu não queria fazer a mesma coisa em todos os takes. Você quer mudar. Então eu fui até o Scott e disse, ‘hey, cara, o que você acha?’ “ Cooper, o ex ator que também dirigiu Crazy Heart, de 2009, achou que o tato ameaçador seria perfeito. Juntos, os dois deram a Bulger mais uma linha de diálogo.
“Eu fui pra trás, olhei pra ela e disse, ‘John é um cara sortudo,’” diz Depp, satisfeito com a memória daquele take final, “Foi muito assustador.”
Depp disse que para descrever o Bulger de sangue frio, ele se baseou em um “velho caipira raivoso” (um resquício de sua tumultuada infância no Kentucky). “Isso não é necessariamente muito longe da superfície as vezes,” diz o ator três vezes indicado ao Oscar. “Na medida que você pode controlá-lo, ter acesso a isso acontece em uma fração de segundo, isso era o que Jimmy Bulger tinha. Eu sabia que era disso que o papel precisava.”
Mas tem mais a sua descrição do que maldade pura. Bulger é mostrado no filme como um ser carinhoso com seu filho pequeno, galante com mulheres mais velhas na vizinhança – uma espécie de Robin Hood – como uma figura (contanto que você o pegue no momento certo). “Um minuto, tudo está bem e elegante,” diz Depp. “Aí acontece de alguém ser burro o suficiente de chamá-lo de Whitey, e ele muda.”
A habilidade de Depp para encarnar essa tensão, é a chave para o brilho do ator camaleônico. “Ninguém tem o alcance que Johnny tem,” diz Cooper. “Para criar Ed Wood e também estar em Dead Man, Edward Mãos de Tesoura, O Libertino e Sweeney Todd. Para interpretar Jack Sparrow, John Dillinger, Hunter S. Thompson e Joe Pistone (em Donnie Brasco), e George Jung (em Profissão de Risco). E ainda assim, por todos esses papéis, eu fiquei hipnotizado de vê-lo se transformar no homem que é – gentil, humorado, emotivo e doce – para Jimmy Bulger. Whitey está sempre no controle. Se você ficar a 18 polegadas de distância, Jimmy faria ser 12. E Johnny capturou isso.”
Ele teve ajuda: próteses, lentes de contato azuis, um complexo pedaço de cabelo, e um dente da frente feito com maquiagem cinza. Mas mais do que qualquer coisa, era Depp no comando da intensidade da raiva de Bulger que até fez visitantes no set terem a sensação de mau agouro. Cooper lembra que sua esposa e sua filha de 9 anos, Stella, foram um dia ao set, “quando coisas violentas não estavam acontecendo”. Em um momento, enquanto Cooper e Depp estavam reunidos entre um take e outro, ele percebeu que Stella ficou encarando.
“Eu olhei pra baixo, e ela estava olhando para o Johnny como se ela estivesse pensando para ela mesma, ‘espera aí. Esse é Jack Sparrow. Mas não parece,” ele relembra. “E eu pensei: que ótimo jeito de estragar seus filhos.”
Depp sorriu. “Eu lembro que eu tive que fazer a voz para ela” – ele já estava ligado nas melhores músicas de Piratas do Caribe – “para que ela me reconhecesse.”
A mudança é notável, porque ela aparece sem esforço. Existe uma batida à medida que Depp volta a sua própria fala macia, e Cooper levanta suas sobrancelhas como se dissesse, “Viu?”.
Artigo da GQ
By Amy Wallace
Tradução Jaqueline/DeppLovers

via DeppLovers

Johnny Depp quase acaba com sonho da filha de diretor de Black Mass


Ator estava caracterizado como outro personagem
Foto: Agência Estrelando
Imagine como deve ser para uma criança encontrar um dos seus personagens favoritos e descobrir que ele não existe. Foi quase isso que aconteceu com a filha de oito anos de Scott Cooper, diretor do filme Black Mass.
Em uma visita ao seu pai no set de filmagem, a pequena encontrou Johnny Depp, seu querido Jack Sparrow do filme Piratas do Caribe, mas vestido de Whitey Bulger, seu personagem no novo filme, que é um chefe da máfia e grande assassino.
O ator estava com a maquiagem de Whitey Bulger, com seus olhos azuis, dentes dourados e a peruca que o deixa parcialmente careca. A reação da menina foi arrasadora:
- Olhei para baixo e ela estava olhando para Johnny como se estivesse dizendo para si mesma: Fique calma. Este é o Jack Sparrow. Mas ele não se parece com o capitão, disse Cooper em recente entrevista à GQ.
Percebendo o pavor da menina , Depp passou a conversar com a pequena com a voz que caracteriza Jack Sparrow.
- E dava para ver que enquanto a voz de Jack Sparrow saia da boca de Johnny era um choque para alguém com apenas oito anos de idade, lembra ainda o diretor.
Mas, para ele, o grande diferencial do ator é exatamente esse: conseguir transitar por uma porção de personagens com características totalmente diferentes.


AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh