terça-feira, 29 de maio de 2012

Fotos por Suzanne Allison do show de Bill Carter na The Mint em Los Angeles, que contou com Johnny Depp na bateria




via  www.johnnydepp.com.br

AS TATOOS DEPPÍDES (INVENTEI)



via   www.johnnydepp.con.br

Johnny Depp e Tim Burton falam sobre longa parceria

Johnny Depp e o diretor Tim Burton falam abaixo sobre sua longa parceria. "Eles entendem um ao outro" diz Helena Bonhan Carter, mulher de Burton.
O longa "Sombras da Noite" (Dark Shadows, EUA, 2012), dirigido por Tim Burtom, conta a história de um playboy inglês que imigrou para os Estados Unidos no século 18 e partiu o coração de uma bruxa. Por vingança, ela o transforma em vampiro e o enterra vivo.
Dois séculos mais tarde, em 1972, ele é acidentalmente libertado e vai encontrar um mudo completamente mudado.
O longa estreia dia 22 de junho e tem Johnny Depp, Eva Green, Michelle Pfeiffer e Helena Bonham Carter no elenco.

Johnny Depp foge de Hollande


Henrique Raposo (www.expresso.pt)

Johnny Depp, sujeito que faz cartoons para Tim Burton e Jerry Bruckheimer, saiu de França, não quis esperar pela governação do novo Dalai Lama da esquerda socialista. Eis as declarações: "deixei a França e voltei aos EUA porque queriam o meu dinheiro" (revista do Expresso, há dias). Se bem se lembram, Hollande queria enforcar os "ricos" numa taxa de 75%. À semelhança de Hollande, Depp deve ter umas casas na Riviera e uma conta bancária pouco tímida e, por isso, resolveu não esperar pela expropriação. Fez bem.
Sobre esta rigorosa matemática que se debruça sobre os "ricos", já fiz as contas para o caso português e cheguei a uma conclusão pouco revolucionária: se expropriássemos todas as grandes fortunas portuguesas, ficaríamos com um montante que nem sequer pagaria as dívidas das empresas de transportes de Lisboa e Porto ("nem ricos temos em condições", diria o meu avô) . Os "ricos" franceses serão em maior número e terão contas bancárias mais generosas, mas os buracos do Estado francês também serão maiores, logo, a conclusão será a mesma: o confisco das fortunas francesas não resolveria os problemas da França. Johnny Depp está vingado.
Esta loucura dos 75% é um dos melhores exemplos da alergia à realidade de Hollande e demais tribo socialista. É como a história do crescimento. Esta boa gente acha que basta dizer "vamos crescer" para que o PIB comece a dar pulinhos de contentamentoComo diz Andres Malamud, estamos perante uma caricatura do pós-modernismo. Isto quer dizer o quê? Os socialistas acreditam que o discurso per se altera a realidade. É como se acreditassem que a austeridade é apenas uma palavra "neoliberal", e não a realidade em pelota. É como se pensassem que não existe realidade empírica mas apenas maldade "neoliberal". Portanto, se os bandidos "neoliberais" deixassem de acreditar na austeridade, tudo seria resolvido, porque a crise resulta da vontade de Merkel e Gaspar. Moral da história? Os nossos queridos socialistas acham que as coisas vão ao sítio se gritarem muito contra a vontade dos merkelianos. E gritaram tanto que acabaram por afugentar o camarada Johnny Depp.

via  Expresso

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh