terça-feira, 6 de setembro de 2011

Johnny Depp entrega a Keith Richards prêmio de escritor do ano da "GQ" inglesa


Da Redação
A "GQ" inglesa premiou nesta terça-feira (6) as personalidades de destaque em diversas áreas, escolhidas pela equipe da revista, em cerimônia na Royal Opera House de Londres.

Num dos pontos altos da noite, o Rolling Stone Keith Richards recebeu das mãos do ator Johnny Depp o prêmio de escritor do ano por sua autobiografia. Depp se inspirou no roqueiro para compor seu personagem na série de filmes "Piratas do Caribe" e Richards chegou a fazer participações no terceiro e quarto filmes, como pai do pirata Jack Sparrow (Depp).

Outros premiados da noite foram o ator Bradley Cooper (personalidade internacional), a banda Duran Duran (conjunto da obra), U2 (banda), Tommy Hilfinger (estilista), o astro de "House" Hugh Laurie (música) e o fotógrafo Mario Testino (inspiração).

Americanos são "mais legais" e brasileiros ficam em segundo lugar

 Alguns, como Snoop Dogg, Lady Gaga, Samuel L. Jackson, Johnny Depp e Quentin Tarantino são muito mais legais que os outros

Biografia mostra como surgiu roteiro de "Edward Mãos de Tesoura"


da Livraria da Folha
O visual estranho e as narrativas bizarras são hoje sinônimo da produção cinematográfica do diretor Tim Burton. Desde seu início de carreira, quando produziu alguns curtas, os temas sombrios e personagens problemáticos já apareciam.

Um passeio por sua história e pelos filmes que marcaram Hollywood é o que faz "O Estranho Mundo de Tim Burton". O autor volta à infância do diretor para saber como o estranho menino sem amigos transformou sua imaginação fértil em trabalho.
Divulgação
Protagonistas de "Edward Mãos de Tesoura"
Protagonistas de "Edward Mãos de Tesoura"


A história é contada cronologicamente, marcada pelo lançamento de seus longas. Cada um deles tem textos jornalísticos e entrevistas da época que ajudam a entender como cada filme foi recebido pela crítica e pelo público.

Já considerado um dos nomes mais promissores da geração, Burton fez aos 32 anos o filme que mudou a sua história e a de Johnny Depp. "Edward Mãos de Tesoura" é lembrado mais de vinte anos depois por diferentes públicos.

Leia abaixo um trecho sobre a produção de "Edward Mãos de Tesoura" :
*

A Arrancada de Tim

Denise Di Novi, a coprodutora de Burton, está sentada no sofá espantando os besouros. "Sabe qual a razão número um para as pessoas deixarem a Flórida?", ela pergunta. "Insetos."

Mas não há escapatória para o set de filmagens de Edward Mãos de Tesoura, o quarto longa de Tim Burton que, aos 32 anos, é considerado o diretor jovem mais "quente" de Hollywood. Ele está fazendo um filme sobre o monstro estilo Frankenstein no subúrbio, um encantador e inocente jovem que tem tesouras no lugar das mãos. Johnny Depp, o jovem emotivo que faz Edward, está parado, sem reclamar, na sala, irreconhecível sob várias camadas de roupas do Exército da Salvação, uma peruca preta pavorosa e maquiagem branca com cicatrizes. Tubos plásticos saem das costas da veste refrigeradora que ele usa e pingam um líquido verde no chão. Suas mãos, brilhando com tesouras de dez centímetros, parecem canivetes suíços vindos do inferno. Em algum lugar no meio daquelas armas, um designer inteligente incluiu um pequeno pregador, com o qual ele agora segura um cigarro.

Tim Burton e Vicent Price
Entrevista por Graham Fuller (Parte Dois)

De onde veio a ideia de Edward Mãos de Tesoura?
[Burton] Foi algo muito puro (...). Sempre adorei os contos de fada como Chapeuzinho Vermelho e João e Maria, que contam ideias incríveis, mas não possuem nenhuma ligação psicológica comigo. Certo dia, tive uma conversa que fez muito sentido. Disseram-me: "imagine como Chapeuzinho Vermelho foi recebida na época em que foi escrita, provavelmente fazia todo sentido". O que amo nos contos de fadas é que algo bem simples e emocional é mostrado em uma escala simbólica bem maior.

E como você traduziu esse sentimento em seu filme?
[Burton] É a inabilidade de se comunicar, de tocar, estar em desacordo consigo mesmo. Como você se vê o oposto do que é realmente. O que me interessou foi a ideia de tentar narrar um conto de fadas no sentido clássico, mas fazendo que parecesse como um exame daqueles temas.
[Price] Uma coisa que estou louco para saber é se as pessoas entenderão, isso porque a criação de Edward acontece muito rapidamente. Ele é montado a partir de um cortador de biscoitos. Meu personagem, o inventor, pega um biscoito em forma de coração e olha para ele, depois para a máquina, e então pensa: "Se eu pudesse colocar isso nele...".
[Burton] E tem várias coisas meio oníricas, tudo muito, muito simples, e muito, muito psicológico, mas que nem por isso fica martelando na cabeça das pessoas. É apenas o uso de coisas que não são literais, mas meio sentimentais, e depois fazer algo visual com aquilo e ver se as pessoas conseguem relacionar as duas coisas.
[Price] Acho que tivemos sorte em ter Johnny Depp. Em todas as minhas cenas com ele, Depp estava completamente mergulhado no personagem, mas ainda mantinha um sorriso no rosto, porque sabia quem era aquele garoto com mãos extraordinárias.
[Burton] Bom, ele é puro. Quando você olha para ele, vê que é uma daquelas pessoas, e não há muitas delas, que de repente faz que você acredite em vidas passadas. Isso parece uma coisa meio Nova Era, mas você olha para Johnny e pensa que a sua alma deve estar por aqui há séculos. Tem muito dele neste filme, pois Johnny é alguém que está em contradição consigo mesmo e não tem a percepção de como é visto na indústria do entretenimento. Ele tem uma vida interna muito forte, atormentada e passional, que é totalmente o contrário do que sua aparência externa mostra.

O Edward Mãos de Tesoura pode parecer o oposto do Freddy Krueger para algumas pessoas. Suas mãos são igualmente perigosas, mas ele não tem como ser mais doce e triste.
[Burton] Nunca considerei essa possibilidade, mas quando algumas pessoas a mencionaram para mim, pensei: "bom, isso é perfeito, pois não me importo que as pessoas já tenham algum conceito em relação ao visual dele. Por mim tudo bem". Todos sentem que querem algo da vida e não podem ter. Todos têm dois lados de sua personalidade. E de um jeito bem rápido e visual, ele incorpora tudo isso.

O filme tem alguma mensagem sobre o mundo no qual Edward surge?
[Burton] Acho que sim, pois muito dele é baseado em memórias, não traduções literais sobre o que é crescer em certo lugar. E é um lugar fascinante, um subúrbio. E que foi muito importante para mim. É um lugar engraçado, muito estranho e bizarro, mas não totalmente negativo. Por isso, no filme, espero que esse cenário tenha sido apresentado de um jeito que seja extremo e meio louco, mas não julgando nem rindo das pessoas. Este é o filme de que mais me sinto próximo, e eu só queria que todos vissem as imagens; espero que as pessoas possam tirar suas próprias conclusões sobre elas. É legal fazer outro filme que, finalmente, parece um pouco aberto a interpretações.

[Vídeo] Montagem em homenagem a Tim Burton!


Tim Burton - Fan Montage / Tribute Video from Saxon Brack on Vimeo.



via www.johnnydepp.com.br

Johnny Depp em um clube






Rochas Johnny Depp em 'flashbax' noite Camden clube de famosos no Bar Solo enquanto assistia a uma performance ao vivo pela banda "The Tricks", que ele assinou recentemente a 'Music Unison "seu selo de música nova. Foliões colegas disse que ele estava bebendo cerveja a noite toda, mas pediu para ser servido em taças de champanhe como um verdadeiro hollywood diva. Nessas fotos, Depp pode ser visto sendo apoiado por um homem mais velho, enquanto a festa no meio da multidão. Depp estava vestindo azul tons escuros, um chapéu gorro e um 'pirata' t-shirt e poderia ser visto com uma tatuagem 'Jack Sparrow' em seu braço.

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh