domingo, 23 de julho de 2017

10 pessoas famosas que odiaram a fama


Você já se perguntou o que seria ser famoso ? Um mundo onde as pessoas simplesmente te amam por ser você e todos sabem o seu nome? Acordando todos os dias e vendo centenas de notificações de fãs porque você é tão amado e invejado!
Parece que pessoas famosas têm toda sorte e glória. Dinheiro, talento, chefs pessoais, conexões e tudo em nome da marca. O que poderia ser melhor? Quem não gostaria de caminhar se sentindo como um deus? Bem, se você quiser saber a resposta a essa pergunta, continue lendo. Pode surpreender você.

10Johnny Depp











Johnny Depp levou a atuar na década de 1980 depois de estrelar em A Nightmare on Elm Street (1984), mas ele realmente se tornou famoso depois de estrelar a popular série de TV 21 Jump Street . Hoje, ele é um dos atores mais bem-sucedidos, descrito como "possivelmente entre os atores mais versáteis de seu dia e idade em Hollywood" por seu site dedicado, johnnydeppweb.com.
Depp adora o que ele faz, mas ele não gosta da fama que vem com ele. Ele realmente descreveu a fama como "viver como um fugitivo ". Ele também afirmou: "Eu não acho que seja qualquer coisa em que você se acostumar. [. . . ] Por muitos anos, nunca pude colocar meu nome no mesmo tipo de categoria que a palavra "famoso" ou algo assim. "
Depp também é um ávido guitarrista que deseja que as pessoas estejam interessadas em ouvir sua música porque realmente gostam de sua música. Não porque o tenham visto em uma dúzia de filmes.

9Marlon Brando












O madrugador, o excelente padrinho Marlon Brando, atuou há mais de 50 anos na tela grande. Embora tenha desprezado a fama, a IMDb diz que ele é "amplamente considerado o maior ator de cinema de todos os tempos".
No entanto, no final de Listen to Me Marlon , um documentário sobre o ator lendário, ele disse que "faria" a vida de forma diferente "se pudesse. Em muitas partes do filme, ele falou em agir com puro desgosto. [2]
Ele disse que os atores são apenas mentirosos , que qualquer um pode fazê-lo, e que "atuar é a expressão de um impulso neurótico". É uma vida bum. Partindo da atuação, esse é o sinal da maturidade ".
Uma das suas citações mais famosas foi: "A única razão pela qual eu estou em Hollywood é que não tenho a coragem moral de recusar o dinheiro".


8Justin Bieber










Quem é Justin Bieber ? Bem, se você precisa perguntar! Ele é uma estrela do pop canadense descoberta via YouTube, onde ele e sua mãe postaram clipes do jovem cantando as capas de Stevie Wonder, Michael Jackson e Ne-Yo. Usher eventualmente ajudou Bieber a se inscrever. Seu álbum, My World , lançado em 2009, vendeu mais de 137.000 cópias na primeira semana de bater lojas.
O Biebs afirmou que alcançar a fama em sua juventude era "a coisa mais difícil do mundo". Aos 21 anos, ele disse: "Veja as estatísticas sobre quantas estrelas infantis se derrubaram e acabaram por ser empregos irrefutáveis. . . É f-ked, irmão, esse estilo de vida ".
Ele disse que se dirá: "Você não é bom o suficiente. As pessoas odeiam você. "Ele cita Kylie Jenner como um exemplo dos efeitos devastadores da fama em uma pessoa jovem. Estar cercado de câmeras em todos os momentos está "afetando a forma como ela está pensando e como ela está percebendo as pessoas e por que ela tem que fazer certas coisas", disse Bieber em uma entrevista de 2015 com The Guardian . [3]


7Corey Feldman












Sim, este não é surpresa. Como alguém não pode se dediar à fama depois de percorrer o que Corey Feldman e seu melhor amigo, Corey Haim, fizeram? Feldman afirma que Haim foi estuprada quando jovem e disse que era normal porque era exatamente o que os homens faziam em Hollywood.
Haim voltou-se para as drogas para lidar, e seu vício eventualmente causou problemas médicos que levaram a sua morte prematura em 2010. Não era muito melhor para Feldman.
Ele afirma que ele foi molestado por um homem contratado por seu próprio pai. Feldman também disse que os pedófilos estavam em toda parte em Hollywood quando ele estava na adolescência e que as pessoas sabiam que os dois Coreys estavam sendo passados. [4]
"Eu era basicamente um escravo. [. . . ] Eu literalmente era famoso antes de conhecer meu próprio nome ", disse Feldman. "Que infância? Eu não sei o que isso significa. "Feldman explicou que ele foi criado em filme ao invés de poder viver uma vida normal quando criança.
Então, quem poderia culpar esse cara ?! Também odiamos a fama, tendo vivido uma infância assim.


6Demi Lovato











Demetria Devonne Lovato também foi colocada na frente da câmera como uma criança. Ela estrelou em Barney e Friends e depois foi lançada em uma série curta da Disney chamada As Bell Rings em 2007.
Ela teve vários lançamentos de música solo e, em 2009, marcou o papel principal em Sonny with a Chance . Desde então, ela só cresceu mais famosa. Demi falou sobre sua ascensão à fama e disse que era um fator em seus distúrbios alimentares e toxicodependências.
Ela afirmou: "Eu não pensei que chegaria a 21, [e eu] não poderia ir de 30 minutos a uma hora sem cocaína." Demi até se cortou e abusou de comprimidos prescritos. Por volta das 19, ela reconheceu seus problemas e buscou ajuda. [5]Bom trabalho, Demi.


5Lady Gaga










Stefani Joanne Angelina Germanotta (também conhecido como Lady Gaga ) se juntou a uma banda local aos 19 anos, que ganhou alguns fãs e atenção. Em 2006, ela foi assinada para Def Jam Records, mas foi retirada do rótulo após três meses curtos.
No entanto, Vince Herbert assinou a Gaga para a Streamline Records, uma marca da Interscope Records, em 2007. Ela viajou na Europa e nos clubes gay dos EUA. Mas não foi até 2009 que "Just Dance" realmente catapultou sua carreira. [6]
Desde então, Gaga realmente aprofundou sua fama, descrevendo-a como solitária: "Eu não acho que eu poderia pensar em uma única coisa que é mais isolada do que ser famosa." Ela nunca quis ser famosa e considerar deixar música porque Disso.
Gaga pintou uma imagem triste de extremo isolamento para todos os seus fãs. "Eu escondi muito. . . Para preservar minha imagem como um superstar para meus fãs ", disse ela. "[Isso] realmente me deixou louco".


4Kristen Stewart










Kristen Stewart foi notada por um agente na audiência durante sua apresentação em uma peça de Natal quando tinha oito anos de idade. Ela passou a retratar um personagem que não falava em um filme da Disney e depois a filha de Jodie Foster no Panic Room .
Kristen já estava trabalhando com grandes nomes aos 12 anos. Desde então, ela surgiu para o estrelato depois de aparecer em vários sucessos, como os filmes em The Twilight Saga . A atriz tem sido muito franca sobre seus sentimentos em relação à fama. [7]
Em 2015, Kristen afirmou: "A fama é a pior coisa do mundo. Ter que muita energia humana empurrou para você e ser analisado criticamente é, obviamente, desarmado ".

3Shailene Woodley










Shailene Woodley tinha apenas quatro anos quando começou a modelagem comercial. Ela começou a atuar em 1999, protagonizando o substituto do pai . Ela continuou a agir até os 15 anos, quando foi encorajada a usar uma cinta para curar sua escoliose idiopática. Após dois anos de tratamento, ela estava bem.
Shailene então conseguiu sua parte de Amy Juergens em The Secret Life of the American Teenager . A partir de então, ela era bem conhecida em Hollywood . No entanto, como Johnny Depp e muitos outros, Shailene prefere a arte mais do que a fama.
Ela sente isso tão fortemente que falou publicamente sobre a atenção: "Para mim, a palavra f é" famosa "e a palavra c é" celebridade ". Odeio essas palavras com uma paixão ".
Shailene está tão na arte que sente que é aceitável rejeitar papéis por anos. "Se eu for contratado simplesmente porque meu nome é um nome, isso não se sente bem. Isso é como alguém que compra sua pintura, simplesmente por causa do quanto lhes é dito que vale a pena, antes de realmente gostar de olhar a pintura e sentir-se inspirado por ela ". [8]

2Britney Spears











Britney Spears prosseguiu atuando aos oito anos quando tentou o The Mickey Mouse Club . Ela foi afastada por sua idade, mas não deixou que isso a impedisse. Britney audicionou mais uma vez aos 11 anos e foi lançado na série de sucesso.
No entanto, ela não fez um grande nome para si mesma até que ela foi assinada por Jive Records e seu álbum  . . . Baby One More Time vendeu 13 milhões de cópias. Bem, se a música do cantor " Lucky " não falou com você, talvez suas citações diretas irão.
O anfitrião de rádio Scott Mills perguntou a Britney se ela desejava que ela não fosse famosa. A estrela respondeu: "Já me perguntei isso antes. Muitas vezes . . . Na verdade, sou uma pessoa muito particular. Às vezes, estou na negação de que sou realmente famoso. É demais, penso eu, que alguém alcance esse tipo de magnitude para realmente entender isso ".
Ela continuou: "Eu vou e volto com ele, honestamente." E então ela acrescentou: "Estou triste". [9]

1Marilyn Monroe












Marilyn Monroe teve uma infância triste. Sua mãe mentalmente incapaz de cuidar adequadamente dela, foi forçada a entrar e sair de um orfanato, e ela foi molestada pelo pai de sua amiga. Para evitar voltar para o orfanato, ela decidiu se casar aos 16 anos com James Dougherty, amigo do bairro.
Quando se divorciaram em 1946, ela estava modelando. Marilyn começou a atuarno final da década de 1940 e foi assinada com alguns contratos. Mas não foi até que ela assinou novamente com o Twentieth Century-Fox que sua carreira floresceu e ela passou a ser uma superestrella conhecida. Na verdade, ela se tornou uma das mulheres mais famosas de todos os tempos.
Muitas das citações de Marilyn indicam a dor óbvia que sentiu pelo toque frio da fama: [10]
Isso desperta inveja, a fama faz.
A fama é como caviar, você sabe - é bom ter caviar, mas não quando você tem isso em cada refeição.
Se a fama acontece, por muito tempo, eu tive você, fama. Se isso acontecer, eu sempre soube que era inconstante. Então pelo menos é algo que experimentei, mas não é onde vivo.
E talvez o mais revelador de todos, Marilyn disse:
Eu acho que quando você é famoso, toda fraqueza é exagerada.




via Listverse





quinta-feira, 20 de julho de 2017

JOHNNY DEPP, CHARLIE SHEEN E KEVIN DILLION SE REENCONTRAM EM FESTA DE 30 ANOS DE "PLATOON"

Elenco comemorou lançamento de filme neste domingo (16)



Johnny Depp, Charlie Sheen e Kevin Dillion (Foto: Reprodução/Instagram)

Johnny Depp, Charlie Sheen e Kevin Dillion (Foto: Reprodução/Instagram)

A noite de domingo (16) foi de festa para o elenco de PlatoonJohnny DeppCharlie Sheen e  Kevin Dillion se reencontraram para celebrar 30 anos do lançamento do filme. O elenco se reuniu na casa de Depp em Los Angeles.


"Charlie era um teimoso de 17 anos quando veio pela primeira, quando íamos gravar em 1984. E em dois anos ele cresceu e pareceu ser muito mais atencioso", disse o diretor Oliver Stone para a Entertainment Weekly em maio de 2011. "Ele fez um ótimo trabalho".

Platoon conta a história de Chris, interpretado por Charlie Sheen. Um jovem recruta recém-chegado a um batalhão americano em meio à Guerra do Vietnã. Chris se voluntariou para lutar na guerr. Aos poucos, ele vai perdendo sua inocência e passa a experimentar de perto toda a violência e loucura de uma guerra.

via  quem




quarta-feira, 12 de julho de 2017

A Outra Face | Johnny Depp quase estrelou filme no lugar de John Travolta




Uma matéria do site Shortlist comemorando os 20 anos do filme de ação A Outra Face revela que, se o estúdio tivesse conseguido o que queria, a produção teria sido bem diferente.
Segundo a matéria, antes da entrada do diretor John Woo no projeto, o diretor Marco Brambilia (O Demolidor) estava conectado ao filme, e o estúdio queria que Johnny Depp estrelasse ao lado de Nicolas Cage.
De fato, segundo o co-roteirista Michael Colleary, o estúdio só iria sancionar a participação de Cage (que havia adorado o roteiro) se Depp estivesse ao lado dele.
“Mas Johnny achava que o filme era sobre hockey, por causa do título original [Face-Off]. Ele ficou decepcionado quando leu e disse que estava fora”, comentou.


via  OC

Johnny Depp tem primeira vitória na ação que move contra seus ex-agentes




Teve reviravolta no processo aberto por Johnny Depp contra seus ex-agentes e a The Management Group, a qual acusa de fraude e má gestão de suas finanças. A juíza americana Teresa Beaudet, responsável pelo caso que corre na Corte Superior de Los Angeles, decidiu nesta segunda-feira que as alegações feitas pelos donos da empresa, Joel e Robert Mandel, de que os gastos excessivos do ator o levaram ao vermelho, não são suficientes para caracterizar prova e, portanto, não servem como instrumento de denúncia. O veredito final sai somente em janeiro de 2018.
Depp decidiu ir atrás da dupla na justiça em janeiro, depois de descobrir que estava praticamente sem dinheiro. Ele exige uma indenização de US$ 25 milhões (R$ 81,5 milhões). Já Joel e Robert o processam por denunciação caluniosa e se defendem dizendo que o suposto descontrole financeiro dele foi o que de fato causou a situação e até anexaram aos papéis da ação os recibos de algumas das despesas mais chamativas do astro da franquia “Piratas do Caribe”, como os US$ 30 mil (R$ 97,8 mil) mensais que ele gastava com vinho e os US$ 300 mil  (R$ 978 mil) mensais que usava para pagar os salários de um staff de 40 pessoas.
É bom lembrar que o ator está de volta ao olimpo hollywoodiano desde a estreia do quinto episódio de “Piratas do Caribe”, em junho, um megahit que faturou mais de US$ 734 milhões desde então e vai garantir a ele uma renda de pelo menos US$ 50 milhões neste ano. (Por Anderson Antunes)

via   Glamurama

sexta-feira, 7 de julho de 2017

MOMENTO MUSICAL-Astros da música que odeiam os seus próprios hits

Você pode querer que Madonna, Miley Cyrus ou Radiohead toquem seus hits mais marcantes, mas eles não aguentam mais!



Thom Yorke, Miley Cyrus, Madonna (Foto: Getty Images)
Ingratidão? Desapego? Não importa o motivo, quando alguém não gosta de algo que tenha feito, independente do que o restante do mundo acha, qualquer menção ao fato se torna uma tortura. Reunimos nesta lista, os artistas da indústria da música que detestam alguns de seus maiores sucessos e sentem calafrios cada vez que precisam atender aos pedidos do público e cantar a maldita canção. Confira abaixo:
RADIOHEAD, "CREEP" (1992)
RADIOHEAD (Foto: Getty Images)
Thom Yorke criou um apelido para o sucesso que ele escreveu enquanto ainda era um estudante da Universidade de Exeter em 1987: "Crap". O guitarrista do Radiohead, Johnny Greenwood, admitiu que ele considerava a música ruim, mesmo quando eles estavam gravando.  "Creep" tornou-se um pilar da banda durante a maior parte do meio da década de 90, mas, quando fizeram a turnê do álbum de 1997, ‘OK Computer’, eles já não queriam mais tocar a música. Quando a multidão em Montreal gritou pedindo para apresentarem “Creep”, Yorke respondeu dizendo: "F--- off, estamos cansados ​​disso!". Eles passaram sete anos sem tocar a música ao vivo, antes de colocá-la de volta na turnê de 2016 promovendo seu álbum ‘A Moon Shaped Pool’. Yorke melhorou seu humor em relação à música. “Pode ser legal às vezes, mas em outras vezes eu quero parar no meio do caminho e dizer 'Nah, isso não está acontecendo'", disse ele a Rolling Stone em 2017.
LED ZEPPELIN, "STAIRWAY TO HEAVEN" (1971)
LED ZEPPELIN (Foto: Getty Images)
"Eu explodiria se tivesse que cantar essa música em todos os shows", disse Robert Plant ao Los Angeles Times em 1988. "Escrevi essas letras e achava que essa música tinha alguma importância em 1971, mas 17 anos depois, não sei". A visão do Led Zeppelin sobre "Stairway to Heaven" - que ele definiu como "aquela porcaria de música de casamento" - não havia melhorado em 2002, quando ele prometeu uma doação para uma estação de rádio de Portland quando foi anunciado que a rádio não tocaria mais a música. Zeppelin ficou relutante em retornar após a morte de seu baterista, John Bonham, em 1980, e o ódio de Plant pela música é citado como uma grande divisão entre ele e o guitarrista e compositor da banda, Jimmy Page. Quando eles conseguiram se unir para uma reunião em 2007, Plant se recusou a fechar o show com "Stairway to Heaven" - deixando-a no meio do set - e exigiu que Page "impedisse-se de transformarem a música em um épico ainda mais macarrônico".
MADONNA, "LIKE A VIRGIN" (1984)
MADONNA (Foto: Getty Images)
A Rainha do Pop conquistou um impressionante 49 Top hits ao longo de sua carreira, mas algumas das suas primeiras músicas a deixam irritada. "Não tenho certeza de que eu possa cantar ‘Holiday’ ou ‘Like a Virgin’ novamente", admitiu durante uma entrevista de 2008 para a rádio Z100 de Nova York. "Eu  simplesmente não posso, a menos que alguém me pague, tipo, US$ 30 milhões ou algo assim". Não só ela não canta essas duas músicas, como não quer nem sequer ouvi-lás. Em uma entrevista no ano seguinte, Madonna falou sobre a experiência estranha de ouvir sua própria música. "Por alguma razão, as pessoas pensam que quando você vai a um restaurante ou vai fazer compras, quer ouvir uma de suas próprias músicas. Geralmente é ‘Like a Virgin’ e essa é a que eu não quero ouvir". Apesar de seus protestos, Madonna cantou as duas durante a turnê ‘Rebel Heart’ de 2016.
OASIS, "WONDERWALL" (1995)
Oasis em 2008 (Foto: Getty Images)
O famoso Liam Gallagher não segurou sua língua quando foi perguntado sobre seus sentimentos em relação à música "Wonderwall", o sucesso transatlântico de sua banda em 1995. "Eu não consigo entender essa fuc**** música", ele disse à MTV em 2008. "Toda vez que eu tenho que cantar, quero morrer. Você vai para a América, e eles ficam dizendo: 'Você é o Sr. Wonderwall?'". Em outra parte da entrevista, ele revelou o que mais gostou sobre o álbum da banda ‘Dig Out Your Soul’: "Pelo menos não há ‘Wonderwall’ lá". Embora Liam esteja realmente em desacordo com o irmãoNoel, eles compartilham sentimentos semelhantes sobre "Wonderwall". Quando perguntado sobre isso em um programa de rádio do Reino Unido em maio, o irmão Gallagher mais velho admitiu: "Eu não gosto particularmente dessa música - acho que 'Cigarettes and Alcohol' é uma música muito superior”.
MILEY CYRUS, "PARTY IN THE U.S.A." (2009)
MILEY CYRUS (Foto: Getty Images)
Embora seja uma obra-prima pop, Cyrus admitiu que seu papel na escolha da faixa foi mínimo. "Honestamente, escolhi essa música porque precisava de alguma coisa para a minha linha de roupas", disse ela em entrevista ao site MileyWorld pouco depois da música ter sido lançada. "Não escrevi [e] não esperava que fosse fazer sucesso, originalmente. Era apenas algo que eu queria fazer e precisava de algumas músicas e acabou acontecendo isso". Mais tarde, Miley admitiu que a música não era algo que ela escutasse em seu tempo livre. "Eu escuto zero música pop, o que é realmente estranho para alguém que faz música pop. Meu eu de 13 anos de idade teria espancado meu eu de 17 anos porque ela diria ‘você é uma vendida!’”. Até o ano de 2011, ela estava tão cheia dessa música que, durante uma festa particular em Chicago, pediu ao DJ Kiss que interpretasse alguma de suas canções, exceto "Party in the USA". Mas ela esclareceu o ódio em uma entrevista de 2013 na V. "Eu não posso dizer que não gosto de ‘Party in the USA’, e que não aprecio a música. Seria como meu pai [o cantor country Billy Ray Cyrus], dizer que odeia 'Achy Breaky [Heart]'... Mas ela não é o que eu sou, não é o que eu quero cantar, e não é assim que eu quero que minha voz pareça".
BEASTIE BOYS, "(YOU GOTTA) FIGHT FOR YOUR RIGHT (TO PARTY)" (1986)
BEASTIE BOYS em 2004 (Foto: Getty Images)
O trio de New York City pretendia que sua faixa de estréia inovadora, ”License to Ill”, fosse um comentário sarcástico sobre o hedonismo burro e infantil dos garotos de fraternidades, mas a sutileza se perdeu para muitos ouvintes, que fizeram da música um hino. Essa má interpretação deixou um gosto azedo na boca da banda, e eles procuraram distanciar-se dela. "A única coisa que me incomoda é que a gente pode ter reforçado certos valores de algumas pessoas quando nossos próprios valores eram totalmente diferentes", comentou Michael "Mike D" Diamond. "Havia toneladas de caras cantando 'Fight for Your Right', sem saberem que a música era uma indireta para eles”. A banda foi menos articulada - e mais contundente - quando falou sobre o álbum de grandes sucessos de 1999, ‘The Sounds of Science’, no qual os integrantes disseram que o hit "é uma merda".
LADY GAGA (FT. BEYONCÉ), "TELEPHONE" (2009)
LADY GAGA (Foto: Getty Images)
A maioria dos artistas ficaria extremamente agradecida apenas por cantar com a rainha Bey, mas Lady Gaga não é fã de sua colaboração de 2009 com a ícone do Destiny's Child. "Eu odeio ‘Telephone’". Isso é terrível, né? É a música que eu tenho mais dificuldade de ouvir", disse ela ao Pop Justice em 2011, mas depois esclareceu que não tinha nada a ver com a qualidade real da música. "Em última análise, a mistura e o processo de conclusão da produção foi muito estressante para mim. Então, quando eu digo que é minha pior música, não tem nada a ver com a música, apenas minha conexão emocional com ela". Mais tarde na entrevista, ela admitiu que a música que ela "ignoraria" provavelmente seria "Honey Money". Embora o vídeo épico que traz as divas do pop tenha feito um grande sucesso quando foi lançado pela primeira vez em 2010, Gaga diz que não conseguiu cumprir suas expectativas criativas. "Não consigo assistir ao vídeo de ‘Telephone’, eu odeio tanto", disse ela ao Time Out London em 2011. "Beyoncé e eu somos ótimas juntas, mas há tantas ideias sobre esse vídeo e tudo o que eu vejo nesse vídeo é meu cérebro borbulhando de ideias. Eu queria ter editado".
R.E.M., "SHINY HAPPY PEOPLE" (1991)
Michael Stipe, do R.E.M. (Foto: Getty Images)
R.E.M. nunca foi a banda mais alegre do mundo, e quando sua gravadora lhes pediu uma faixa pop feliz e moderna para incluir no álbum ‘Out of Time’ de 1991, eles responderam com essa canção com a crença de que seria imediatamente rejeitada. Infelizmente para eles, o plano falhou e a música tornou-se um single bem sucedido. "Eu odeio essa música", disse Stipe em um episódio de 1995 do ‘Space Ghost: Coast to Coast’. Ok, era um programa de comédia, mas Stipe manteve uma opinião semelhante em uma entrevista mais séria de 2003. "Eu não diria que tenho vergonha da música, mas tem um apelo limitado para mim... Eu nunca falo mal das coisas. Tento nunca dizer nada de ruim sobre as músicas que eu não gosto particularmente. Porque pode haver alguém lá que ouve a canção e para quem ela significa tudo, a quem essa música representa algo em sua vida que é essencial e não quero tirar isso deles". Ainda assim, a banda como um grupo decidiu deixar "Shiny Happy People" fora do álbum de grandes sucessos de 2003, ‘In Time’. "É uma música pop escrita para crianças. É exatamente o que é", disse Stipe ao Andrew Marr da BBC em 2016. "Se houvesse uma música que fosse enviada para o espaço para representar o R.E.M. pelo resto dos tempos, eu não gostaria que fosse ‘Shiny Happy People’".
MANDY MOORE, "CANDY" (1999)
MANDY MOORE (Foto: Getty Images)
Com o sucesso recente de seu papel na série ‘This Is Us’, é fácil esquecer que Moore primeiro explodiu no palco em 1999 com a música teen "Candy". O single de sucesso de seu álbum ‘So Real’ foi seguido pelo sucesso “I Wanna Be with You’ no ano seguinte. À medida que sua carreira de atriz começou a decolar, ela relembrou mais severamente seus primeiros esforços musicais. "Ugh, eram horríveis, apenas horríveis!", ela disse à revista Glamour em 2006. "Se eu tivesse o dinheiro, eu daria um reembolso a todos que compraram meus dois primeiros álbuns".
FRANK SINATRA, "STRANGERS IN THE NIGHT" (1966)
FRANK SINATRA (Foto: Getty Images)
Sinatra já tinha mais de duas décadas de carreira quando gravou essa música romântica, que foi a sua primeira música que ficou em número 1 nas paradas de sucesso em 11 anos. Mesmo assim, ele considerava a canção “uma porcaria”, e "a pior música que eu já ouvi" - e às vezes chegou a dizer isso no meio de um show quando era obrigado a cantar essas músicas. "Se você gosta dessa música, você deve estar louco por iogurte de abacaxi", ele disse a uma multidão uma noite. Quando eles ainda gritaram em aprovação, ele balançou a cabeça com descrença. Muitas vezes, ele trocava as letras para sua diversão (“Wond’ring in the night, just where my pants is…”). Ocasionalmente, ele podia ser visto murmurando: "Eu odeio essa música" quando recebia os aplausos. Uma vez, em um cassino de Las Vegas, ele disse ao vocalista de uma banda que "pegaria o arco do violino e enfiaria no **** dele" se ousasse tocar a música mais uma vez em sua presença. Ao longo dos anos, Sinatra tinha um prazer perverso ao dizer às multidões o quanto ele detestava cantar "Strangers in the Night". "Sim, aqui está uma música que não aguento mais. Eu simplesmente não aguento essa música, mas que diabos" (Israel, 1975). "A pior música que já ouvi" (República Dominicana, 1982). "Aqui está uma música, a primeira vez que escutei Don Costa cantá-la pra mim há alguns anos atrás eu odiei! Odeio essa maldita música desde a primeira vez que a ouvi. E ainda odeio! Então, processe-me, atire em mim. Atire" (New York City, 1990). "Esta é uma música que detestei desde a primeira vez que ouvi. E estranhamente eu continuo me dizendo: "Por que você ainda está cantando essa música?" (Foxwoods Casino, 1993).
VIA  MONET

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh