domingo, 22 de maio de 2011

Piratas do Caribe 4' arrecada US$ 256,3 milhões no mundo


Jack Sparrow (Johnny Depp) é garantia de boas risadas no quarto filme da saga
Jack Sparrow (Johnny Depp) é garantia de boas risadas no quarto filme da saga (Divulgação/Disney)
O filme Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas conquistou o público e se tornou o maior sucesso da saga, que já teve outras três produções, com uma arrecadação mundial de 256,3 milhões de dólares, segundo a imprensa especializada.
O filme protagonizado por Johnny Depp e Penélope Cruz estreou nas salas de cinema de todo o mundo neste fim de semana com uma novidade: essa é a primeira produção da saga que pode ser vista em 3D.
De acordo com a revista Entertainment Weekly a arrecadação mundial superou os 250 milhões de dólares, mas nas bilheterias americanas o filme faturou apenas 90,1 milhões de dólares, valor abaixo do obtido com o segundo filme O Baú da Morte, de 2006, que conseguiu 135,6 milhões de dólares, e o terceiro No fim do Mundo, que reuniu 114,7 milhões de dólares em sua estreia em 2007.
No entanto, nos cinemas dos EUA a nova produção da Disney se colocou no topo da lista de bilheteria do fim de semana e se transformou, por enquanto, na melhor estreia do ano, ao superar os 86,2 milhões de dólares que obteve Velozes e Furiosos 5 - Operação Rio.
Os filmes que mais arrecadaram neste fim de semana, depois de Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas foram: Bridesmaids com 21,1 milhões de dólaresThor com 15,5 milhõesde dólaresVelozes e Furiosos 5 - Operação Rio com 10,6 milhões de dólaresRio, com 4,7 milhões de dólares, e Padre, com 4,6 milhões de dólares.
(Com Agência EFE)

"Piratas" fatura US$90 mi em bilheterias na América do Norte



Foto 4 de 15 - O elenco internacional de "Piratas do Caribe 4" inclui os veteranos Geoffrey Rush, como o vingativo Capitão Hector Barbossa, e Kevin R. McNally, como Joshamee Gibbs, parceiro de longa data do Capitão Jack. E ainda Sam Claflin, como um vigoroso missionário, e Astrid Berges-Frisbey, como uma misteriosa sereia Mais Divulgação
O filme "Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas " arrecadou 90,1 milhões de dólares em bilheterias no primeiro final de semana na América do Norte, no valor mais baixo das previsões, mas ainda assim a maior quantia arrecadada nas estreias deste ano, de acordo com as estimativas do estúdio no domingo.
O quarto filme da saga blockbuster da Walt Disney e o primeiro em 3D, lucrou mais 256,3 milhões de dólares em vendas no exterior, estabelecendo um recorde como a maior estreia internacional de todos os tempos, segundo a Disney.
Dito isso, o último "Piratas do Caribe" recebeu estimados 346,4 milhões de dólares durante os primeiros dias de estreia ao redor do mundo.
Navegando em meio a muitas críticas, mas pouca concorrência nos EUA e em cinemas canadenses, "Piratas" superou com facilidade a lista de candidatos, de sexta-feira a domingo, antes do fim de semana do feriado Memorial Day.
A mais nova aventura de "Piratas" coloca Johnny Depp, que volta à saga em seu papel marcante como o Capitão Jack Sparrow em par com a vencedora do Oscar Penélope Cruz, recém-chegada à franquia. O filme também reúne outro vencedor do Academy Award e veterano de "Piratas", Geoffrey Rush, junto com Ian McShane em sua primeira aparição como Blackbeard.
A comédia "As Damas de Honra" ficou em um distante segundo lugar, em seu segundo final de semana, com 21 milhões de dólares em vendas nos EUA e no Canadá.
(Reportagem por Steve Gorman)

Johnny Depp, o ator que não queria ser ator


Como um desvio – bem calculado – do destino levou Depp a uma sucessão de papéis excêntricos e carismáticos e a uma rentável e elogiada carreira em Hollywood



Johnny Depp durante o lançamento de 'Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas'

Avesso ao tratamento de celebridade, Johnny Depp chegou a correr atrás de um paparazzo
Johnny Depp não larga o violão. No trailer de filmagens, em sua casa, no quarto de hotel, o instrumento o acompanha aonde for. "É o meu primeiro amor, desde garoto", disse em entrevista à revista Vanity Fair. Ele nunca quis ser ator, foi um desvio – bem calculado – do destino que o levou para esse caminho. 

Se o talento para as artes cênicas nasceu mesmo com ele, não vem ao caso. Depp cresceu para o estrelato, por mais que nunca o tenha almejado – e, até hoje, não aparente apreciá-lo. Nada pode enfurecê-lo mais do que ver sua vida nas páginas de jornais. Certa vez, chegou a correr com um pedaço de pau atrás de um de um paparazzo que tentou fotografar sua mulher, a francesa Vanessa Paradis, e seus dois filhos, Jack, hoje com oito anos, e Lily Rose, de 11. 

Em vez de se desculpar, ele negou que perdera a cabeça e, ao contrário, reiterou que pretende infligir o máximo de dor a qualquer um que roube de seus filhos o anonimato que possuem. Declaradamente, Depp não faz questão de se engraçar com o público e demonstra completa indiferença à opinião alheia, apesar de ser adorado nos cinco continentes por pessoas de todas as faixas etárias. 

Nenhum outro ator coleciona um currículo de personagens excêntricos e carismáticos como ele. Depp tem três indicações ao Oscar (pelo papéis de Jack Sparrow, em Piratas do Caribe, de J.M. Barrie no longa Em Busca da Terra do Nunca, e por Sweeney Todd em O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet), títulos de homem mais sexy do mundo pela revista People (em 2003 e 2009) e um cachê que atualmente ultrapassa a casa dos milhões de dólares. Mas quem disse que ele se envaidece com isso? Ao menos pelo que diz, Depp nem assiste aos próprios filmes. "Uma vez que meu trabalho no filme esteja terminado, não é mais problema meu", explicou ao jornalista americano David Letterman.

Excentricidades – De personalidade peculiar, ao mesmo tempo que tem os pés no chão ele aparenta operar em outro universo. Se veste de maneira descontraída, gosta de chapéus, óculos coloridos e roupas estampadas. Depp tem dentro de si um pouco de poderoso chefão e de vagabundo, uma mistura tão extravagante quanto boa parte de seus personagens. A inspiração para se reinventar, ele encontra na literatura – além de, naturalmente, na música. Consumidor voraz de livros, Depp é dono – aliás, guardião, como prefere ser chamado – de raridades que incluem um manuscrito com a caligrafia do poeta francês Arthur Rimbaud e a última máquina de escrever do escritor americano Jack Kerouac.
Divulgação
Johnny Depp em 'Edward Mãos-de-Tesoura' (1990)
Johnny Depp em 'Edward Mãos-de-Tesoura' (1990)
Outra curiosidade sobre o ator são os artistas que ele admira. Apesar de geralmente interpretar falastrões, Depp é fã do cinema mudo, de nomes como Buster Keaton, Lon Chaney Sr, John Barrymore e Charles Chaplin – este não podia faltar. Talvez seja esta a razão da eficiência nas expressões faciais e nos trejeitos que dá aos seus personagens. Seu ator preferido, no entanto, é outro, não menos monumental: Marlon Brando. Os dois chegaram a trabalhar juntos na estreia de Depp como diretor, no filme O Bravo – que amargou um estrondoso fracasso de público e de crítica. Outro longa nada popular estrelado pelo ator é Medo e Delírio, sobre uma das descidas abissais às drogas empreendidas pelo escritor Hunter S. Thompson.

Carreira – Nascido e criado nos Estados Unidos, John Christopher Depp II começou na indústria cinematográfica com o terror A Hora do Pesadelo, que lhe abriu caminho para bons filmes, incluindo o vencedor do Oscar Platoon, de Oliver Stone. Mas foi como protagonista de Edward Mãos de Tesoura, de Tim Burton, que Depp ganhou fama e prestígio. A parceria deu tão certo que se desdobrou em diversos projetos. Os dois trabalharam juntos no remake de A Fantástica Fábrica de Chocolate, em O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet e Alice no País das Maravilhas, para citar apenas alguns. 

O divertido e controverso capitão Jack Sparrow é um capítulo à parte na vida do ator. À exceção dos longas com Tim Burton, este foi o primeiro papel de Johnny Depp num filme de orçamento superior a 100 milhões de dólares. E por seu "excesso" de criatividade, quase perdeu o emprego. Para moldar o personagem, ele buscou inspiração no roqueiro Keith Richards, dos Rolling Stones, e por pouco não provocou um infarto nos executivos da Disney. Um personagem afetado, de dreadlocks e olhos pintados, numa aventura estritamente familiar. Houve quem dissesse que Depp poderia arruinar o filme. 

Mas o que ele fez, na realidade, foi salvá-lo. Calcado num roteiro cercado de clichês de mistério e ação, foram o bom humor e os trejeitos que Depp imprimiu ao seu personagem que conquistaram milhões de pessoas em todo o mundo. Piratas do Caribe quebrou recordes de bilheteria e o consagrou como um dos salários mais altos da indústria do cinema – estima-se que, pelo último longa, tenha recebido cerca de 84 milhões de reais. 

O irreverente capitão Jack Sparrow chegou aos cinemas nesta sexta-feira no quarto filme da franquia, Navegando em Águas Misteriosas. Depp logo poderá ser visto na pele do repórter Paul Kemp em O Diário de um Jornalista Bêbado, do diretor Bruce Robinson, que tem lançamento previsto para outubro nos Estados Unidos. Ele também vai ganhar o papel principal em Dark Shadows, o próximo trabalho de Tim Burton. Os dois filmes serão produzidos por sua empresa, a Infinitum Nihil.

Confira os vencedores do Festival de Cannes 2011


Premiação acontece neste domingo (22), na riviera francesa. 
Vinte produções de diversos países concorreram à Palma de Ouro.

Kirsten Dunst discursa em Cannes após receber o prêmio de melhor atriz por "Melancolia", de Lars von Trier. (Foto: AFP)Kirsten Dunst discursa em Cannes após receber o
prêmio de melhor atriz por "Melancolia", de Lars von
Trier. (Foto: AFP)
O Festival de Cinema de Cannes chegou ao fim neste domingo (22), com a entrega dos prêmios para os vencedores da mostra. Nesta temporada, foram exibidos cerca de 100 filmes desde o último dia 11, sendo que 20 deles concorreram à Palma de Ouro, o principal troféu do evento.
Confira a lista das produções premiadas:
Palma de Ouro: "A árvore da vida", de Terrence Malick (EUA)
Atriz: Kirsten Dunst, por "Melancolia" (Dinamarca/Suécia/França/Alemanha)
Ator: Jean Dujardin, por "The artist" (França)
Diretor: Nicolas Winding Refn, por "Drive" (EUA)
Roteiro: "Footnote", de Joseph Cedar (Israel)
Grande prêmio: empate entre "O garoto de bicicleta" (Bélgica/França), de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, e "Once upon a time in anatolia" (Turquia), de Nuri Bilge Ceylan
Curta-metragem: "Cross country" (Inglaterra), de Marina Vroda
Prêmio Câmera de Ouro (para diretor estreante): "Las acacias" (Argentina/Espanha), de Pablo Giorgelli
Prêmio de júri: "Polisse", de Maiwenn Le Besc (França)

Johnny Depp tem experiência psicodélica ao se ver em atração de parque temático

O ator passeou no brinquedo que inspirou a franquia "Piratas do Caribe" com Geoffrey Rush
QUEM ONLINE; FOTO: GETTY IMAGES

Johnny Depp declarou que ir à atração "Piratas do Caribe", no parque da Disney, e se ver, foi "experiência psicodélica". Segundo informações do site "Showbiz Spy", o ator, de 47 anos,  e o colega de elenco, Geoffrey Rush, acharam a experiência surreal quando viram que foram incorporados ao parque temático.

"A ideia de andar em um brinquedo e, de repente, aí está você, três vezes, é psicodélica. É uma honra de uma forma estranha que aquilo que você ajudou a criar se torna este objete para sempre", explica intérprete do capitão Jack Sparrow.

A personagem é uma constante na vida do ator. Ele afirmou que, às vezes, quando está com seus filhos Lilly, de 12 anos, e Jack, de 9, volta a ser Jack Sparrow. "Não consiso me desligar do Jack (Sparrow). Ele não em deixa em paz e continua aparecendo em momentos estranhos. De fato, nesta manhã, eu estava preparando meus filhos para a escola e eu tive que afastá-lo".

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh