quinta-feira, 4 de julho de 2013

Ator Johnny Depp conversa com Jack Sparrow

Novo filme 'O Cavaleiro Solitário' faz Johnny Depp lembrar Jack Sparrow




Johnny Depp que interpretou por quatro vezes o famoso personagem Jack Sparrow no filme Piratas do Caribe admitiu que de vez em quanto se pega conversando com o personagem Jack Sparrow. Isso por conta de seu mais recente papel no cinema, o filme O Cavaleiro Solitário, da Disney. Quem assistiu os filmes Piratas do Caribe vai encontrar alguma semelhança no novo personagem de Johnny Depp, o índio Tonto.
Filme O Cavalheiro Solitario
Johnny Depp no filme O Cavaleiro Solitário

O ator Johnny Depp disse que é muito difícil se livrar do personagem Jack Sparrow, "ele está ainda aqui", afirmou Depp. Esta é consequência de se fazer o mesmo personagem por muito tempo e isso pode ser um problema. "Ele nunca vai embora completamente. Quando me vejo estou falando com ele", disse o ator, em entrevista à revista Galileu.

Johnny Depp fez 50 anos de idade e vai estrear seu novo filme "O Cavaleiro Solitário" nos cinemas. O longa-metragem também traz o mesmo diretor, roteirista e produtor de Piratas do Caribe, mas a história é bem diferente do habitual. O filme O Cavaleiro Solitário é um mito popular do norte-americano, que inclusive já foi filmado outras vezes em tempos passados, mas o que será que o filme traz de novo?

Simplesmente porque a história será contada de outra perspectiva. Acima da cabeça do índio Tonto há um corvo e é sob esse olhar que iremos saber como John Reid vira o Cavaleiro Solitário. O ator Armie Hammer, que contracenou com Leonardo DiCaprio no filme J. Edgar e também foi um dos gêmeos em A Rede Social, vai interpretar o épico John Reid.

Johnny Depp teve a liberdade de criar quase todo o figurino do índio Tonto, onde o corvo representa um outro olhar e as listas em seu rosto as múltiplas facetas do homem. Já o nome do personagem, que insinua alguém bobo, também foi discutido. Em alguns países de língua espanhola o nome mudou para "Toro". No Brasil o nome índio "Tonto" prevaleceu, mas não se engane, ele não tem nada de bobo. Johnny Depp virou membro da tribo Comanche para poder dar vida ao personagem "Tonto".

Quando a história do Cavaleiro Solitário chegou ao Brasil, ficou até conhecida como "Zorro", por conta da máscara de John Reid, muitos anos depois é que o nome verdadeiro permaneceu. Na trama original, John Reid tem cavalo branco chamado Silver que ao sair no galope com o grito: "Hi-yo Silver, away!" ganhou fama nos anos 50.

Alem de Johnny Depp e Armie Hammer, o filme traz a atriz Helena Bonhan Carter, que está ruiva e com uma perna postiça. Helena Bonham Carter, atual companheira do cineasta Tim Burton, já trabalhou com Johnny Depp em Alice no País das MaravilhasSombras da Noite, "Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet" e "A Fantástica Fábrica de Chocolate". Após as filmagens do novo filme, Johnny Depp mudou o visual.

O filme O Cavaleiro Solitário chega ao cinema do Brasil no dia 12 de julho, a estreia é de grande expectativa para os fãs que acompanham os filmes de Johnny Depp. Assista o trailer do filme O Cavaleiro Solitário:

Vídeo

 

A nova cara de Johnny Depp no corpo do fiel Tonto

Em «O Mascarilha», filme que adapta a popular série de televisão dos anos 50, Depp é o índio side-kick Tonto. O visual da personagem nasceu da cabeça do próprio ator.
O ator inspirou-se numa pintura de Kirby Sattler em particular para a caracterização e o chapéu, um corvo com as asas abertas.
Apesar de agora conhecer a fundo a história da sua personagem, Johnny Depp já confessou que não era um grande conhecedor de «O Mascarilha».
«A única razão pela qual conhecia o Mascarilha era porque o meu pai era fã. Ele gostava de ver a série de televisão. Eu vi algumas vezes com ele, mas tinha apenas noção de quem era o personagem», disse à AFP.
Johnny Depp e os criadores da saga «Piratas das Caraíbas» voltaram a trabalhar juntos para a adaptação ao cinema de «O Mascarilha», popular personagem da cultura popular americana que, neste filme, é interpretada por Armie Hammer. O ator é mais conhecido pelo seu papel duplo em «A Rede Social» (dava corpo aos gémeos Winklevoss) e em «Espelho Meu, Espelho Meu! Há Alguém Mais Gira do que eu?» (em que fazia de príncipe encantado).
Mais que o medo de interpretar uma personagem adorada pelos americanos, foi o «respeito por ele» que motivou o ator Armie Hammer. «Sei que esta personagem representa muito para muitas pessoas», disse.
Hammer afirmou que adotou sem hesitar algumas características do herói, como «o respeito pela vida, a recusa de matar e um código moral muito rígido».
Depois de terem revitalizado com sucesso os filmes de piratas, com quatro produções que arrecadaram mais de 3,6 mil milhões de dólares em todo o mundo, o produtor Jerry Bruckheimer e a Disney esperam agora trazer de volta o «western».
«O Mascarilha» é um justiceiro mascarado que nasceu no rádio em 1933, antes de ter ascendido ao sucesso mundial, entre 1949 e 1957, com uma série televisão muito popular nos Estados Unidos.
O filme, que estreia nesta quarta-feira nos Estados Unidos e a 8 de agosto em Portugal, é a quarta adaptação ao cinema da história do cavaleiro do Texas e seu fiel ajudante Tonto, um índio comanche interpretado por Johnny Depp em mais um dos seus excêntricos papéis.
Fiel ao estilo das produções de Bruckheimer, o filme, mistura de western e ação, com um orçamento de mais de 200 milhões de dólares, tem cenários extravagantes, explosões, massacres e cenas espetaculares para contar a história do que levou o texano John Reid a trocar o fato de advogado por uma máscara e o chapéu branco de justiceiro anónimo.
Uma personagem atualizada
Para atrair os espectadores mais jovens, o público-alvo de Bruckheimer, foi necessário atualizar a personagem.
«Quando 'O Mascarilha' surgiu na rádio, estávamos a sair da crise de 1929. E a série de televisão nasceu depois da Segunda Guerra Mundial, quando estava a começar a Guerra da Coreia. As pessoas queriam um herói, queriam ligar a televisão e não ter medo, ver alguém fazer o bem, um bom herói e um bom americano», explicou Armie Hammer.
«Essa lógica não funciona para o público atual, que tem mais discernimento. Assim, quis torná-lo mais humano. Criámos um código moral, sim, mas ele viola-o várias vezes. Queríamos ver a sua luta contra o desejo de matar alguém ou contra algo que desejasse fazer, sabendo que não podia fazê-lo», explicou.
Para o ator, trabalhar com Johnny Depp e com o realizador Gore Verbinski (da saga «Piratas das Caraíbas e vencedor do Óscar de Melhor Filme de Animação com «Rango») também foi muito didático.
"Com o Johnny aprendi a prestar atenção a tudo o que acontece em meu redor. E com o Gore, aprendi que é possível fazer tudo, mas que isso pode exigir mais trabalho do que o previsto».
via Sapo Cinema

SCANS: JOHNNY DEPP NA HELLO MAGAZINE RUSSA

Scans da edição russa da Hello Magazine e mais duas imagens do photoshoot feito por Peter Mountain foram adicionadas à galeria. Confiram!
Agradecimentos: JOHNNYDEPP.RU

via Johnny depp Forever

SCANS: JOHNNY DEPP NA HELLO MAGAZINE RUSSA

Scans da edição russa da Hello Magazine e mais duas imagens do photoshoot feito por Peter Mountain foram adicionadas à galeria. Confiram!
Agradecimentos: JOHNNYDEPP.RU

via Johnny depp Forever

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh