domingo, 27 de junho de 2010

Robert Pattinson como Edward Mãos de Tesoura…?

Oi, como assim?
Ficamos sabendo de um rumor que estava rolando solto pela internet falando que o Pattinson faria outro Edward, dessa vez em um remake do perturbado e imortalizado Edward Mãos de Tesoura interpretado originalmente por Johnny Depp no clássico de 1990. Ok, fomos atrás disso e heis o que encontramos:
Remake de ‘Edward mãos-de-tesoura’: Foi mal fãs de Robert Pattinson, mas é só um boato.
Quem sabe como o último boato da internet – que Robert Pattinson seria escalado como Edward Mãos de Tesoura em um remake do filme de Tim Burton de 1990 – começou? Nós culpamos Twitter.
Se bem que, para alguns fãs, Pattinson não parece ser a pior escolha do mundo: Nos filmes Twilight, ele realmente está pálido e tem o cabelo espetado, como Johnny Depp no filme original. Ele poderia, provavelmente, também ficar bem com aquela roupa de couro.
E, é claro, Pattinson já interpreta um cara chamado Edward, então ele não iria ficar confuso se acidentalmente o diretor o chamasse pelo nome do personagem de “Mãos de Tesoura”. (Na verdade, nós recomendamos que Pattinson só interprete personagens com o nome “Edward” a partir de agora. O que vem a seguir: King Edward? Edward R. Murrow?)
Mas seja se você está indignado ou animado com essa notícia, tudo é bem discutível: É apenas um boato. Então fica certo, no entandt, que é possível que um dia tenha um remake que vá nos perturbar, mas – por enquanto – não é preciso ter medo que Pattinson irá substituir Johnny Depp em nossas memórias queridas.
Ou seja. Nada certo. Não é muito esclarecedor, mas só nos resta esperar por algum anúncio oficial.
Na minha humilde opinião, clássico é clássico e não tem porquê fazer remake de algo que já é tão bom originalmente!
Mas é no mínimo interessante imaginar como o Robert ficaria vestido com uma roupa de couro daquele estilo……. hm.

Luva de cristais usada por Michael Jackson é leiloada por US$ 190 mil

Evento em Las Vegas arrecadou US$ 1 milhão com memorabilia do astro.
Em 2009, luva semelhante foi vendida por menos de um terço deste valor.


Luva cravejada de cristais que Michael Jackson usou em turnê 
foi leiloada nos EUA.Luva cravejada de cristais que Michael Jackson usou em turnê foi leiloada nos EUA. (Foto: Robyn Beck/AFP)
Uma luva cravejada de cristais usada por Michael Jackson em uma turnê realizada em 1984 foi leiloada por US$ 190 mil em evento ocorrido neste fim de semana em Las Vegas, nos Estados Unidos. A informação é da BBC.
O leilão permitiu que fãs adquirissem 200 itens que pertenceram ao rei do pop - o montante total obtido pelo evento chegou a US$ 1 milhão.
Alguns dos itens leiloados chegaram a ser vendidos por 10 vezes o valor estimado inicialmente.
O valor da memorabilia de Michael Jackson mostra que vem crescendo o interesse pelo legado do cantor: em setembro de 2009 outra luva usada por ele foi vendida por US$ 49 mil, menos de um terço do valor obtido no novo leilão.
Para o organizador do evento, Darren Julien, "isso só mostra como Michael é a celebridade mais querida de todos os tempos". "É fenomenomal. Pessoas vieram da Ásia, Rússia e outros locais para participar do leilão. Agora que ele se foi é que percebemos a verdadeira lenda que era", diz Julien.

Argentina repete filme, bate o México e vai atrás da Alemanha nas quartas

alemanha avança para a quarta de final da copa na África do sul..

[CAPITÃO!] Jack Sparrow, o rockstar






agradeço


http://www.johnnydepp.com.br/
You Know - Brazilian Johnny Depp Fan Club

Angelina Jolie é capa da “Vanity Fair”

Vídeo exibe uma prévia do ensaio da atriz para a publicação
QUEM Online
.Reprodução 
Angelina Jolie será a capa da edição de agosto da “Vanity Fair”.
A atriz, que promove o lançamento de seu longa-metragem de ação “Salt”, aparece em poses sensuais para o ensaio da publicação.
Enquanto as fotos não são divulgadas, um vídeo com uma prévia do ensaio acaba de cair na internet.
Confira abaixo!





 

Era uma vez Edward Scissorhands nos Trending Topics…

Ontem a noite, o Twitter estava agitado! Geisy Arruda resolveu escrever uma saga literária? Não. Uma nova campanha mandando algum “global” calar a boca? Também não.
Sim, meus caros Deppmaniacs, Edward Scissorhands chegou ao primeiro lugar dos TT’s Mundiais *-*
Os motivos e teorias pra isso eram diversos. Aqui vão as três principais (na verdade são 4, mas um deles surgiu hoje e sinceramente acho que é só mais um boato para os sites atraírem acessos):

Edward Scissorhands estava sendo exibido na TV americana e isso é o bastante para o filme se tornar assunto no Twitter. Sendo que sempre que alguma coisa está passando na TV, piadas e brincadeiras começam e RT’s das piadas também, o que nos leva ao nosso 2º motivo.

A seguinte brincadeira também estava nos TT’s: #IfSouljaBoysARapper. Traduzindo para o nosso tupiniquim: “Se Soulja Boy é um rapper…” Aí o twitteiro completava a frase. E um tal de @MaxxCoolKid escreveu “Se Soulja Boy é um rapper então Edward Scissorhands daria a melhor mãozinha do mundo”. Sim, foi uma ironia ._. Geralmente para alguma coisa entrar nos TT’s alguém com muitos seguidores deve ter postado e essa mensagem teve mais de 100 RT’s. Para ver alguns tweets de ontem: aqui.

Já o terceiro motivo é o que merece a dedicatória deste post:

Nesta última sexta-feira, uma peça de teatro baseada em Edward Scissorhands estreou nos Estados Unidos. Leia mais aqui.

Talvez os TT’s nada tivessem a ver com essa peça, é verdade, mas se não fosse pelo Twitter eu não teria encontrado esse vídeo:





Essa não é a apresentação que estreou no Brooklin propriamente dita, é uma apresentação no gelo de alguns anos atrás. Mas assim que a notícia da peça surgiu a gente começa a imaginar quem interpreta o Edward e esse vídeo ilustra bem. Eu sei que é meio improvável, mas bem que a peça poderia fazer uma tour pela América Latina, né? xD

Ah! E antes que me perguntem outra coisa que tornou Edward Scissorhands um assunto comentado, mas que surgiu só hoje, é que Robert Pattinson é cotado para interpretar o Edward em uma remake da criação de Tim Burton. Duvido disso, já que nem com o próprio Johnny, Tim Burton se animou em fazer uma continuação ou remake do filme. A obra-prima já está feita e eternizada, não faz sentido tentar recriá-la.

Bjohnnies :**

@Patty

Morre, aos 66 anos, o ator e escritor Alberto Guzik

Nome importante do teatro nacional morreu após lutar contra câncer.
Homenagem a Guzik acontece neste sábado (26) em crematório de SP.

Do G1, em São Paulo
O ator, escritor e crítico teatral Alberto Guzik, morto aos 
66, em SP.O ator, escritor e crítico teatral Alberto Guzik, morto
aos 66 anos, em São Paulo. (Foto: Divulgação)
Morreu neste sábado (26) em São Paulo o ator e escritor Alberto Guzik. Conhecido por sua carreira e importância no teatro nacional, ele faleceu aos 66 anos, após lutar contra um câncer no estômago. Ele estava internado no Hospital Santa Helena desde fevereiro.
Uma cerimônia será realizada às 16h30 deste sábado no Crematório da Vila Alpina, na zona leste da cidade.
Nascido na capital do estado em 1944, Guzik foi aluno da Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo e estreou nos palcos em 1967. Em sua carreira, dirigiu e se envolveu na produção de espetáculos de atores essenciais à dramaturgia, como Sofócles, Arthur Miller e Bertold Brecht.
Além de ator, Guzik também foi escritor de peças e livros e trabalhou como crítico teatral para publicações como "O Estado de S. Paulo", "Jornal da Tarde" e "IstoÉ".
Guzik foi um dos idealizadores da escola de artes dramáticas SP Escola de Teatro - Centro de Formação das Artes do Palco, inaugurada em 2009 e localizada no bairro do Brás, em São Paulo.

O vampiro envelheceu

Fenômeno entre as adolescentes, Edward, o herói de "Eclipse", cresce – e avança sobre fãs mais velhos
Danilo Venticinque e Luís Antônio Giron. Com André Sollitto
Divulgação
TRIÂNGULO
Bella (Kristen Stewart), entre Edward Cullen (Robert Pattinson, à esq.) e Jacob Black (Taylor Lautner). Ela se divide entre o amor frio do vampiro e a paixão do lobisomem
Menos de um ano após a última mordida, os vampiros da saga Crepúsculo voltaram a atacar. E, ao contrário do que se espera de seres que não envelhecem, eles não param de crescer. Nascida como uma história infantojuvenil, a aventura da garota que se apaixona por um vampiro tornou-se uma marca multimilionária. O terceiro filme da série, Eclipse, consolida Crepúsculo como uma das franquias mais poderosas do cinema mundial.
O filme estreia em todos os países à 0h01 desta quarta-feira. No Brasil, serão 687 cópias. O número é justificado: no ano passado, cerca de 6 milhões de brasileiros foram aos cinemas para assistir a Lua nova – o dobro do público do filme anterior. Somados, os dois primeiros filmes da saga ultrapassaram a marca de US$ 1,1 bilhão arrecadados em todo o planeta, ante um orçamento de US$ 97 milhões.
Para Eclipse, a expectativa é de um êxito ainda maior. Repleto de cenas de ação e dilemas emocionais, o filme promete ampliar o público-alvo da série: além das apaixonadas fãs adolescentes, homens e mulheres adultos deverão se render ao filme da mesma maneira que foram fisgados pelos livros de Stephenie Meyer.
No filme, o conflito desenhado nos dois primeiros episódios se intensifica, e a heroína Bella Swan (Kristen Stewart) se vê forçada a tomar uma decisão entre seus dois pretendentes: o vampiro Edward Cullen (Robert Pattinson) e o lobisomem Jacob Black (Taylor Lautner). Ambos são figuras sobrenaturais, mas as semelhanças acabam aí. Quando não está metamorfoseado em lobo, Jacob passa por um garoto normal, com interesses (e paixões) de qualquer adolescente. Edward é um amante à moda antiga. Para conter a sede de sangue, é forçado a evitar um contato mais íntimo com Bella – ceder a seus desejos significaria perder o controle e colocar a vida da amada em risco. Bella propõe a solução: para consumar o amor, Edward deve transformá-la em vampira. Ele reluta: receia que a garota perca a humanidade e, mesmo que ela decida mudar de espécie, Edward não quer fazê-lo antes do casamento.
Ao mesmo tempo, a heroína enfrenta incertezas. Desistir da vida humana significaria abrir mão não só da mortalidade, mas também de sua alma. Seus desejos e pensamentos terrenos seriam substituídos pela forte compulsão por sangue, que ela só conseguiria conter depois de muito treinamento. Aproximar-se de seu pai e sua mãe seria expressamente proibido nos primeiros anos como vampira. Outra questão a preocupa ainda mais: o amor de Edward permaneceria após sua metamorfose em vampira?
A história reforça os valores tradicionais, personificados (ou vampirificados) na família Cullen, da qual faz parte Edward. Seu pai adotivo, o eternamente jovial doutor Carlisle Cullen (Peter Facinelli), salvou a vida de doentes contaminados pela Gripe Espanhola em 1918, mordendo-os e convertendo-os em mulheres e homens-morcegos. Ele ainda arranjou uma forma de civilizar os instintos dos “filhos”, impondo um regime à base de sangue fresco retirado de animais. Com isso, estancou o desejo assassino de suas criaturas. Edward é um jovem de 17 anos do início do século XX congelado na condição de vampiro “vegetariano”, como ele diz. Apesar de sua tez pálida de poeta tísico, seus valores são sólidos e seu amor por Bella inquebrantável.
AFP
CASTIDADE
Bella e Edward namoram. O vampiro se recusa a realizar os desejos da amada antes do casamento
A moça, agora com 18 anos (note bem: mortal, ela o passou em idade), já tomou algumas decisões: quer se entregar a Edward – e, portanto, perder a um só tempo a virgindade e a vida terrena. “Me transforme agora”, diz Bella. O vampiro, porém, se mostra irredutível. “Só depois do casamento”, diz, reagindo a um carinho da namorada. “Antes disso, temo por você.” E rapidamente contra-ataca, abrindo um sorriso: “Senhorita Isabella Swan, aceita minha mão em casamento? Sou da velha guarda”, diz ele. A garota ainda tem sangue nas veias e se derrete. “Velha guarda?”, diz. “Edward, estamos no século XXI. Você é arcaico!”
A cena surgiu em um sonho da autora Stephenie Meyer, de 36 anos. Hoje multimilionária, Stephenie era uma pacata dona de casa mórmon mãe de três filhos, leitora de ficção científica e romances de terror. Num inverno, sonhou com a ideia que alteraria sua vida: “Não era a cena clássica do vampiro que avança sobre a virgem numa noite de luar, mas quase o inverso: a donzela é que pede para ser mordida”, disse a autora a ÉPOCA.
Bem que o lobisomem indígena Jacob tenta seduzi-la com um amor quente e saudável. “Lutarei por você até que seu coração pare”, diz. “Ou mesmo depois disso...” Mas, depois de lhe pedir um beijo, Bella aparentemente prefere ser petrificada na instituição do casamento a experimentar uma paixão mundana. E assim se rende a Edward, o último baluarte da virgindade.
Ao mesmo tempo que enfrenta essas dúvidas, a heroína se vê diante de um perigo iminente. Recrutado pela vilã Victoria (Bryce Dallas Howard), inimiga mortal (ou melhor, imortal) dos Cullens, um exército de vampiros recém-criados passa a perseguir Bella para beber seu sangue. Ao contrário de Edward e familiares, os novos vampiros não sabem conter seus instintos. Compensam a inexperiência e ignorância com uma força extraordinária, muito maior que a dos vampiros comuns. A fascinante história dos vampiros “recém-criados” originou o primeiro derivado da série principal: o livro A breve segunda vida de Bree Tanner, que narra a história de uma vampira recém-criada que aparece brevemente no filme. A obra atingiu o primeiro posto na lista de mais vendidos no Brasil, superando o best-seller mundial A cabana – um sintoma da comoção pelo lançamento de Eclipse e a prova de que o universo de Crepúsculo tem potencial para se tornar tão amado quanto outros que o precederam, como Harry Potter e Crônicas de Nárnia

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh