sexta-feira, 15 de outubro de 2010

JOHNNY DEPP SEGUNDO GABRIEL GARCIA MARQUÈZ





Estranho, Bizarro, Genial
15/10/2010 0


Segundo o escritor colombiano Gabriel García Marquéz, autor do best-seller Cem Anos de Solidão e ganhador do prêmio Nobel de literatura, grandes escritores são conhecidos não pelo que escrevem, mas pelo que se recusam a escrever. Essa lógica cairia como uma luva à carreira de Johnny Depp. O cara é famoso por dizer "não", coleciona negativas como quem junta figurinhas da copa do mundo. Recusou o papel que consagrou Keanu Reeves em Velocidade Máxima, o de Brad Pitt no épico Lendas da Paixão, o de Patrick Swayze em Caçadores de Emoção, o de Tom Cruise em Entrevista com o Vampiro e, finalmente, o de Leonardo Di Caprio em Titanic. Ao dizer não a essas superproduções Depp provavelmente deu uma banana à chance de ser o astro mais popular das últimas décadas. Em compensação o cinema ganhou um ator único, um intérprete que faz papéis que ninguém mais poderia fazer. Curiosamente o cinema nunca esteve nos planos de John Cristopher Depp II. Seu negócio era outro, suas paixões eram guitarras e rock'n'roll. Foi pensando em ser um astro de rock que Johnny saiu ainda adolescente do interior do Kentucky (leia-se "onde Judas perdeu as botas") para Los Angeles, foi lá que Depp se tornou amigo de um tal de Nicolas Cage, sobrinho de um tal de Francis Coppola. Convidado pelo amigo a participar de uma produção B chamada A Hora do Pesadelo Depp não pensou duas vezes e aceitou, afinal um filme poderia ser uma boa promoção para sua futura carreira como guitarrista - nessa época Depp já tocara com nada menos que quinze bandas diferentes, uma delas o The Kids, chegou a abrir shows para o roqueiro glam Iggy Pop. O filme, é claro, tornou-se um cult e Johnny Depp acabaria picado pela mosca azul da sétima arte. Depois de ser estripado por Freddy Krueger Johnny emplacou uma ponta em Platoon, o filme-coqueluche de 86 e acabou aterrissando na serie televisiva Anjos da lei. O seriado sobre jovens policiais infiltrados entre a bandidagem faria um enorme sucesso no mundo inteiro e colocaria o nome de Depp em franca evidência. Apesar de Depp ter detestado o trabalho "Eu queria morrer. Na televisão somos vendidos como um hot-dog, eu desprezo isso" diria o ator. Além de talentoso Johnny também mostrou ser um sujeito de sorte. Com o fim de Anjos da Lei - que durou de 87 a 90 - Depp acabaria conhecendo aquele que seria seu parceiro mais freqüente nas telas: Tim Burton. Burton, ex-animador dos estúdios Disney e dark de carteirinha achou no andrógino Depp ator ideal para o seu próximo filme. Burton tinha visto Johnny em Cry-Baby, filme meio maluco onde o ator faz um líder de gangue que chora por um olho só. O filme não é grande coisa, mas Burton viu em Johnny o protagonista do conto de fadas gótico que trazia em mente, Edward Mãos-de-Tesoura. Mesmo sem ser um filme... vá lá... ... convencional... Edward fez um sucesso danado iniciando uma dobradinha que dura até hoje. O diretor e o ator ainda fariam juntos o ótimo Ed Wood, A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, o remake da Fantástica Fábrica de Chocolate e a animação stop-motion A Noiva Cadáver, onde Johnny deu voz ao personagem principal. Todos - sem exceção - filmes escuros, esquisitos, excêntricos. O gosto por papéis bizarros é, aliás, a maior marca da grife Johnny Depp. Saca só: o sujeito já foi um frankstein moderno em Edward Mãos-de -Tesoura, um biruta que pensa ser Don Juan no delicioso Don Juan deMarco, o pior diretor do mundo em Ed Wood, um repórter alucinado no psicodélico Medo e Delírio, um delator do FBI em Donnie Brasco, o criador do Peter Pan em Busca da Terra do Nunca, um escritor assombrado por seu próprio personagem em A Janela Secreta e um detetive vitoriano que se enche de ópio para descobrir a identidade de Jack o estripador em Do Inferno (Depp, surpresa, é um verdadeiro especialista na história do estripador londrino). E Isso só para citar os nomes mais conhecidos da galeria Depp de tipos estranhos. Se na tela grande Johnny é o esquisitão de plantão, na vida pessoal as coisas não são muito diferentes. Além de já ter se casado um monte de vezes, o ator namorou várias beldades como Kate Moss, Jannifer Grey e Winona Rider (depois do namoro a tatuagem Winona Forever que Depp trazia no braço virou Wino Forever, Bêbado para Sempre). Todas relações complicadas que acabaram nas capas dos tablóides. Johnny também virou notícia por quebrar quartos de hotéis, arremessar armários pela janela e encher de supapos jornalistas curiosos. E para piorar de vez com a já nebulosa fama do rapaz basta citar que foi na sua boate, a Viper Room, que o jovem ator River Phoenix tomou sua overdose fatal. Hoje, vivendo em Paris e casado com a cantora Vanessa Paradis e com dois filhos Johnny parece estar mais calmo. Pelo menos parece. Com a moral em alta Johnny decidiu em 97 pular para trás das câmeras. Escreveu, produziu, atuou e dirigiu O Bravo, filme mediano que contou com a participação de seu grande amigo e ídolo confesso Marlon Brando. Ao contrário de outros astros como Mel Gibson ou Robert Redford Depp não logrou grande êxito atrás das câmeras, mas é incontestável que hoje o ex-roqueiro e ex-rebelde é uma estrela de primeira grandeza. Depois do sucesso do seu divertido capitão Jack Sparrow - inspirado no guitarrista dos Rolling Stones, Keith Richards - do Blockbuster Piratas do Caribe Johnny também se mostrou um eficiente chamariz de bilheteria. Não é à toa que os próximos dois filmes da série foram filmados simultaneamente, e já há planos para mais três continuações. Todas com Johnny encabeçando o elenco. Nada mal para quem sonhava em ser apenas um guitarrista de banda de rock. Sonhava? De quem vocês acham que é a guitarra da faixa Fade-in-out do disco Be Here Now , álbum de maior sucesso do Oásis?

Fãs vestidos como piratas tentam invadir camarim de Johnny Depp




Que perigo! Por essa, nem o malucão Jack Sparrow estava preparado. Os seguranças que cuidam dos sets de filmagem em Londres de “Piratas do Caribe: Em Marés Estranhas” (Pirates of Caribbean: On Strange Tides) tiveram trabalho redobrado. 
Dois fãs vestidos como piratas fingiram se passar por figurantes do filme e tentaram invadir o camarim do astro Johnny Depp, que interpreta o pirata Jack. Segundo o jornal britânico “The Sun”, os guarda-costas perceberam o comportamento estranho dos dois e a aproximação ao local onde estava o ator. Imediatamente eles foram imobilizados e retirados da área. 
“Piratas do Caribe: Em Marés Estranhas”, quarto filme da série, está previsto para chegar aos cinemas em 2011.
 

Keith Richards sobre johnny depp-aff cara maluco..

Keith ainda falou sobre seu vício em drogas e revelou ter pensado que Johnny Depp era traficante de drogas. "Achava que ele vendia drogas para meu filho. Demorei uns dois anos para me tocar de quem ele era. Pra mim ele era só um amigo do meu filho. Aí um dia no jantar caiu a ficha: 'Cara, o Edward Mãos de Tesoura!'".  

Dia do Professor


Os professores merecem salários mais justos, pois lidam com a educação de um país
O dia do professor é comemorado em 15 de outubro.
Esse profissional, durante seu período de formação, passa a desenvolver algumas habilidades que o ajudará a lidar com crianças e jovens que estão em fase escolar, como metodologias de trabalho e didática de ensino.
Hoje em dia os professores têm um papel social maior, estão mais envolvidos e engajados no exercício da profissão, pois as metodologias de ensino mudaram muito de uns anos pra cá.
O professor deixou de ser visto como o todo poderoso da sala de aula, o detentor do saber, o dono da razão, e foi reconhecido como o instrumento que proporciona a circulação do conhecimento dentro da sala de aula.
Isso acontece em razão de seu modo de agir, a maneira em que conduz as aulas, pois considera os conhecimentos que os alunos levam consigo, fazendo com que cada um manifeste a sua opinião acerca dos assuntos discutidos.
A criação da data se deu em virtude de D. Pedro I, no ano de 1827, ter decretado que toda vila, cidade ou lugarejo do Brasil, criasse as primeiras escolas primárias do país, que foram chamadas de “Escolas de Primeiras Letras”, através do decreto federal 52.682/63.
Os conceitos trabalhados eram diferenciados de acordo com o sexo, sendo que os meninos aprendiam a ler, escrever, as quatro operações matemáticas e noções de geometria. Para as meninas, as disciplinas eram as mesmas, porém no lugar de geometria, entravam as prendas domésticas, como cozinhar, bordar e costurar.
A ideia de fazer do dia um feriado, surgiu em São Paulo, pelo professor Salomão Becker, onde o mesmo propôs uma reunião com toda a equipe da escola em que trabalhava para que fossem discutidos os problemas da profissão, planejamento das aulas, trocas de experiências, etc.
A reunião foi um sucesso e, por este motivo, outras escolas passaram a adotar a data, até que a mesma se tornou de grande importância para a estrutura escolar do país.
Anos depois, a data passou a ser um feriado nacional, dando um dia de descanso a esses profissionais que trabalham de forma dedicada e por amor ao que fazem.
A estrutura da educação no Brasil se divide por faixas etárias. De zero a três anos temos as creches ou berçários; de 3 a 5 anos a fase de educação infantil, de 6 a 10 anos o ensino fundamental I; de 11 a 14 anos o ensino fundamental II; e de 15 a 17 anos o ensino médio. Após a etapa do vestibular e com a aprovação no mesmo, o período de graduação.
Podemos ver que os professores são muito importantes para a vida de todos, pois passam por todo o período escolar, por longos anos. Por isso, deveriam ser mais bem remunerados e ter seu trabalho melhor reconhecido.
Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh