sábado, 31 de julho de 2010

Foto tirada por Mike Jocson, dia 29 de julho no píer Heeia Kea no Havaí. #PiratesOfTheCaribbean

Nova foto de Johnny no restaurante Apartment3

Johnny esteve algumas vezes no restaurante Apartment3 no Havaí em suas horas de folga e em uma dessas visitas tirou uma foto acompanhado do chef Hiroshi:

Imagem

A foto acima não tem data, mas uma outra foto (aqui) tirada no mesmo restaurante é do fim de semana passado.

Mais fotos/vídeos de JD como Jack cumprimentando fãs

As fotos e vídeos a seguir foram feitos no dia 29 de julho no píer He'eia Kea no Havaí antes de Johnny começar as filmagens noturnas de Piratas do Caribe 4 no navio Queen Anne's Revenge:



Na terceira foto Johnny cumprimenta uma fã chamada Tomi Suzuki. Foto tirada por Mike Jocson:

Imagem Imagem Imagem Imagem

Dia do Orgasmo: confira as cenas mais prazerosas do cinema

por Sarah Mund
Dia 31 de agosto é o Dia Mundial do Orgasmo. Quem criou a data foram os donos das sex shops inglesas, que decidiram tomar uma iniciativa quando uma pesquisa revelou que 80% das mulheres do país não atingem o clímax durante as relações. Os brasileiros não saem muito na frente de acordo com os estudos feitos pelo Projeto de Sexualidade da USP (ProSex): 50% das brasileiras têm problemas na cama e cerca de 12 milhões de homens sofrem de alguma disfunção sexual.
Mas o cinema resolveu de forma eficiente esses problemas criando cenas que até hoje lembramos com prazer. Selecionamos alguns filmes que trazem os orgasmos mais românticos, embaraçosos e engraçados do cinema:
Barbarella (1968)
Interpretada pela belíssima Jane Fonda, a heroína das hisórias em quadrinhos é ‘torturada’ por uma engenhoca que oferece doses letais de prazer. Mas Barbarella acaba quebrando a máquina, fazendo o vilão perguntar “Que tipo de garota é você? Não tem vergonha?”.
a
Harry e Sally – Feitos um para o Outro (1989)
A personagem de Meg Ryan decide provar ao de Billy Crystal que qualquer mulher pode fingir um orgasmo. Só que ela não faz uma escolha apropriada de lugar para isso e demonstra sua teoria em um restaurante lotado. Não bastasse todos assistirem boquiabertos ao momento, a senhora da mesa ao lado pede o mesmo pratp que Meg está comendo.
a
Thelma & Louise (1991)
Brad Pitt ainda era um desconhecido, mas passou a ser lembrado como o ex-presidiário que seduz e depois rouba a medrosa dona de casa que é a personagem da atriz Geena Davis depois dela lhe dar uma carona enquanto ela e Thelma fogem do FBI por causa de uma viagem de pesca que não foi nada pacata.
a
Corpo em Evidência (1993)
Madonna interpreta a amante de um milionário encontrado morto e que se vê em encrencas quando a polícia descobre que ele preteriu ela à esposa e deixou sua fortuna para ela em testamento. Mas ela ão hesitará em seduzir o advogado interpretado por Willem Dafoe, iniciando um tórrido romance.
a
Titanic (1997)
A paixão entre Rose (Kate Winslet) e Jack (Leonardo DiCaprio) é rápida e intensa mas também proibida. Por isso eles procuram o compartimento de cargas do famoso navio para ter privacidade longe dos olhares da mãe e do noivo dela. A ligação entre os dois foi tão forte que ela continuará seguindo o que combinaram pelo resto da vida.
a
Carne Trêmula (1997)
Victor (Liberto Rabal) e Elena (Francesca Neri) são dois desconhecidos que passaram uma noite juntos, mas quando ele insinte em levar a relação adiante as coisas saem de seu controle e durante uma briga com policiais que foram chamados para tirá-lo do apartamento dela, um dos policiais (Javier Bardem) sai ferido. Depois de anos na cadeia, ele se envolve com a esposa do outro policial e a vida de todos volta a se cruzar.
a
American Pie – A Primeira Vez é Inesquecível (1999)
Não faltam orgasmos nesse filme que mostra um grupo de amigos que selaram um pacto de perderem a virgindade antes de ir para a faculdade. Algumas das cenas mais apimentadas fica por conta da mãe de Stifler (Seann William Scott), interpretada por Jennifer Coolidge, que se envolve com um dos garotos.
a
Todo Mundo em Pânico (2000)
Nessa paródia de vários filmes de terror famosos, a atriz Anna Faris protagoniza um momento em que ela é literalmente jogada ao teto pelo companheiro durante uma relação do casal, demonstrando o humor escrachado do filme que ganhou quatro sequências .
a
O Fabuloso Destino de Amélie Poulin (2001)
O filme em si é bastante comportado, mas a cena que mostra quinze casais fazendo sexo no mesmo momento em que Amélie (Audrey Tautou) se pergunta quantas pessoas estão tendo um orgasmo na cidade se tornou inesquecível.
a
Ken Park (2002)
Já o diretor Larry Clark (Kids) não teve medo de mostrar sexo explícito em seus filme. Tanto que os problemas sexuais de quatro adolescentes são mostrados sem pudores, como a cena de masturbação de um dos garotos, ou da menina que é pega de surpresa pelo pai enquanto está transando e acaba levando uma surra.
a
Todo Poderoso (2003)
Quando Bruce – com direito a todas as caretas de Jim Carrey – ganha os poderes de Deus para que o todo poderoso possa tirar férias, ele faz questão de recompensar sua namorada, interpretada por Jennifer Aniston, com um orgasmo provocado à distância, enquanto ela ainda se prepara para passar a noite com ele.
a

9 Canções (2004)
O filme causou polêmica ao mostrar atos sexuais reais entre os atores Kieran O’Brien e Margo Stilley que incluem sexo oral e ejaculações. O filme retrata o casal ou Matt sozinho, assistindo a nove músicas, intercaladas por cenas de sexo explícito.
a
a
Closer – Perto Demais (2004)
Com Julia Roberts, Jude Law, Natalie Portman e Clive Owen, o filme acompanha a vida de dois casais que acabam se envolvendo uns com os outros – com direito a sexo virtual.
a
a
Espanglês (2004)
No primeiro filme americano da espanhola Paz Vega, Téa Leoni interpreta uma mãe de família obcecada por ginástica e viciada em livros de auto-ajuda e é responsável por uma cena pra lá de constrangedora em uma cena de sexo com o marido, Adam Sandler, que assiste atônito à performance sexual de poucos minutos da esposa.
a
Minha Super Ex-Namorada (2006)
Apesar de se esconder por trás de uma aparência normal, a personagem de Uma Thurman é na verdade uma super heroína. Seu namorado, interpretado por Luke Wilson, começa a notar seu segredo durante uma transa em que ela atravessa a parede do apartamento dele com cama e tudo. Mas ele só conhecerá a força de seus poderes depois que terminar com ela.
a
A Verdade Nua e Crua (2009)
Abby (Katherine Heigl) é uma produtora de TV recatada que precisa suportar as piadas machistas de um apresentador (Gerard Butler). Mas as coisas começam a mudar quando ela decide usar uma calcinha vibratória por curiosidade. Mas durante um jantar de negócios um garoto acha o controle remoto que caiu da bolsa dela e acaba deixando-a numa situação bastante embaraçosa ao apertar os botôes que ativam o apetrecho que ela está usando.
a

GALERA DIA 25 de julho foi o Dia do Escritor: veja 14 filmes com os melhores autores do cinema

Em tempos de invenções como o iPad, da Apple, e o Kindle, da Amazon, há quem pense que os livros podem desaparecer em breve. O medo parece meio bobo quando lembramos que, no passado, disseram que a TV acabaria com o rádio e que o videocassete esvaziaria as salas de cinema. Seja como for, uma coisa é certa: o ser humano continuará lendo ainda por muitos séculos. Em homenagem ao Dia do Escritor, celebrado neste domingo (25), MONET selecionou 14 longas-metragens que têm como protagonistas os mestres na arte de contar histórias.
Confira uma seleção de filmes com escritores no núcleo principal:
Janela Secreta (Secret Window — 2004)
Após se separar da mulher e entrar em crise criativa, Mort Rainey (Johnny Depp) decide se isolar numa casa de campo, à beira de um lago, em busca de inspiração. Logo, surge um maluco que o acusa de plágio. Mas a situação piora para valer quando o maluco passa a descontar sua raiva matando algumas pessoas das redondezas.
O Iluminado (The Shining — 1980)
“Muito siso e pouco riso fazem de Jack um solitário”. O filho e a esposa do escritor Jack Torrance (Jack Nicholson) aprenderam esta lição de um jeito nada agradável nesse clássico do terror. Stephen King, autor do livro homônimo que deu origem ao filme , disse não ter gostado da adaptação de Stanley Kubrick. Ainda assim, cenas como as de torrentes de sangue invadindo os corredores do hotel Overlook perturbam espectadores até hoje.
Em Busca da Terra do Nunca (Finding Neverland — 2004)
Johnny Depp volta a encarnar um literato, mas, agora, é Sir James Matthew Barrie (1860-1937), o responsável pela obra-prima infantil “Peter Pan”. No filme, Barrie conhece a família Llewelyn Davies. Como na vida real, esse contato foi o que deu origem à célebre peça de teatro para crianças.
Mais Estranho que a Ficção (Stranger Than Fiction — 2006)
Harold Crick (Will Ferrell) é um simples funcionário público, com rotina precisamente programada. Aliás, programada demais. É o que ele descobre ao ouvir uma voz feminina que narra os acontecimentos de sua vida e — pior ainda — de sua morte, que está por vir. A comédia mostra como ele tenta driblar o objetivo da autora de sua existência.
Encontrando Forrester (Finding Forrester — 2000)
De um lado, Jamal Wallace (Robert Brown, na foto), jovem talento do basquete e da literatura que consegue uma bolsa de estudos numa privilegiada universidade de Manhattan. Do outro, William Forrester (Sean Connery), um escritor brilhante e recluso. Quando se encontram, parece que o segundo tem muito a ensinar para o primeiro, mas é o personagem de Connery que acaba recebendo ótimas lições de vida.
Shakespeare Apaixonado (Shakespeare In Love — 1998)
Não existe menção a nenhuma Viola De Lesseps na biografia de William Shakespeare (1564-1616). Já neste filme, é esse o nome da jovem que conquista e inspira o Bardo de Avon (interpretado por Joseph Fiennes) a escrever uma nova peça, em que ela, secretamente, pretende atuar. O romance ganha contornos de tragédia quando os pais de Viola arranjam um casamento de conveniência para a moça.
Abraços Partidos (Los Abrazos Rotos — 2009)
Pedro Almodóvar e Penélope Cruz em mais uma de suas parcerias de sucesso — porém, quem protagoniza este filme é Lluís Homar (foto). Ele faz o papel de um cineasta e escritor que, após um acidente em que perdeu a visão e sua grande paixão (interpretada por Penélope), torna-se amargurado. Embora não tenha parte da memória, ele, com o desenrolar da história, vai se lembrando de como era sua vida no passado de emoções intensas.
Desconstruindo Harry (Deconstructing Harry — 1997)
Quase todos os filmes de Woody Allen têm um tom autobiográfico, especialmente aqueles em que o cineasta é o personagem principal. No caso, o escritor Harry Block discute as obsessões próprias dos grandes criadores, como lidar com elas e com as pessoas de carne e osso que viram personagens em seus romances. Tudo isso com o humor típico de Allen, que a garante a leveza necessária para que temas assim não deixem a história monótona.
1408 (1408 — 2007)
Um romancista cético resolve se hospedar num hotel, justamente no quarto tido como mal-assombrado — o tal 1408 —, só para “provar que essas bobagens de fantasmas não existem”. E, claro, tirar da experiência elementos para um novo livro. Já deu para ter uma ideia do que está reservado para o personagem de John Cusack: um serviço de quarto de outro mundo. Literalmente.
Iris (Iris — 2001)
26 livros e diversos estudos marcaram a carreira da escritora e filósofa irlandesa Iris Murdoch (1919-1999). O filme mostra a autora jovem (interpretada por Kate Winslet, à esquerda na foto) e já idosa (vivida por Judi Dench,à direita na foto). É nesta fase final que assistimos ao seu maior desafio na hora de escrever: o mal de Alzheimer, que a fazia, às vezes, até esquecer qual palavra estava prestes a usar no texto.
Miss Potter (Miss Potter — 2001)
Outra escritora britânica em outro filme de 2001. Renée Zellweger dá vida a Beatrix Potter (1866-1943), que, entre outras profissões, foi autora de livros infantis. O mérito do longa-metragem está em revelar detalhes da vida pessoal da inglesa, incluindo sua relação com os pais e com suas paixões.
Nome Próprio (2007)
Como foi dito no início desta lista, a tecnologia não deve ameaçar o hábito de leitura. Nem o de escrever. Que o diga Camila (Leandra Leal), blogueira inspirada na autora das duas obras que deram origem a este filme, a brasileira Clarah Averbuck. Tão aficionada em “postar” novidades em seu blog, a protagonista acaba com problemas para lidar com a vida real.
Capote (Capote — 2005)
Truman Capote (1924-1984) foi um dos maiores expoentes do “jornalismo literário” (em que fatos são narrados como se o repórter estivesse na cabeça das pessoas). Vivido por Philip Seymour Hoffman, o escritor-jornalista mostrou que misturar emoção e realidade era um jeito de revolucionar tanto o jornalismo quanto a literatura de sua época. Esse foi o impacto da obra-prima “A Sangue Frio”, sobre os horríveis bastidores de uma série de assassinatos no interior dos EUA.
Abaixo o Amor (Down With Love — 2003)
Anos 1960, pílula anticoncepcional já comercializada em território americano, mulheres avançando no mercado de trabalho e uma escritora traz às prateleiras das livrarias uma bomba: o livro “Down With Love”. A mensagem é simples. “Amigas, vamos nos relacionar com quantos homens quisermos e focar apenas em nossas carreiras”. Só na ficção a personagem de Renée Zellweger não seria censurada. Mas isso não a protege de um jornalista interesseiro e mulherengo, disposto a usar todo o charme possível para provar a todos que a autora é uma fraude.

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh