sexta-feira, 11 de junho de 2010

Estúdio confirma que último filme da saga 'Crepúsculo' será dividido em dois Primeira parte de 'Amanhecer' será lançada em novembro de 2011.

Robert Pattinson e Kristen Stewart em cena de "Eclipse"

Os fãs de "Crepúsculo" já podem comemorar. Segundo informações da revista "People", o estúdio Summit, responsável pelo filme, confirmou que o último filme da saga vampiresca será dividido em dois.

A primeira parte de "Amanhecer" será lançada em novembro de 2011, como planejado anteriormente. A data de lançamento da segunda parte ainda não foi escolhida, mas as filmagens e produção acontecerão ao mesmo tempo.

Bill Condon, diretor de "Dreamgirls" e "Chicago", dirigirá as duas partes do filme, que começa a ser filmado em setembro. Kristen Stewart, Robert Pattinson e Taylor Lautner estão confirmados como protagonistas, mas Dakota Fanning ainda não assinou o contrato para viver a vampira Jane novamente.

Mais uma cena de 'Eclipse' com Kristen Stewart e Taylor Lautner é divulgada Imagens mostram rapazes implicando com Jacob e apresentam Leah Clearwater, nova personagem.

 
YouTube/Reprodução

Kristen Stewart

De pouquinho em pouquinho, os fãs de "Crepúsculo" vão conseguindo juntar as partes do próximo filme da saga, "Eclipse", que estreia no dia 30.

Desta vez, a cena divulgada mostra Jacob sofrendo com implicâncias dos colegas por conta de Bella. Também aparece na história uma nova personagem: Leah Clearwater.

. Assista ao vídeo aqui!

Hugh Laurie faz aniversário!


Hugh Laurie, mais conhecido como Dr. House, assopra 51 velinhas nessa sexta-feira (11). O ator começou atuando em comédias e aos poucos conquistou o público com seu carisma e talento. Conheça um pouco mais a sua história.

Como a maioria já deve saber, o sotaque americano do Dr. House é falso. Na verdade Hugh nasceu em Oxford, na Inglaterra. O caçula de quatro irmãos quase se tornou atleta como seu pai, mas após ganhar inúmeros campeonatos de remo resolveu se dedicar aos estudos. Laurie se formou em antropologia e arqueologia na Cambridge University.

Durante a juventude já pensava em ser ator, por isso sempre participava de pequenas produções. Em 1982, entrou para o elenco de “Cambridge Footlights Revue”, uma série de TV bem humorada e aclamada pela crítica. Hugh atuava ao lado de Stephen Fry e Emma Thompson, com quem viveu um romance breve.

Geoffrey Rush é confirmado em Piratas do Caribe 4

Imagem

Geoffrey Rush embarcará na quarta parte de Piratas do Caribe, On Stranger Tides, como Capitão Hector Barbossa. Rush interpretará um dos poucos personagens que retornarão a franquia produzida por Jerry Bruckheimer, além de Johnny Depp, que também está de volta como Capitão Jack Sparrow, no filme que está programado para 20 de maio de 2011.

As filmagens começam esse mês no Havaí com direção de Rob Marshall e roteiro de Ted Elliot e Terry Rossio, que também assinam os filmes anteriores.

Fonte

Angelina Jolie irá interpretar Cleópatra em produção para os cinemas

Filme, ainda sem previsão de estreia, será inspirado em uma biografia sobre a rainha do Egito
QUEM Online
Reprodução 
Angelina Jolie deve reviver a célebre personagem interpretada por Elizabeth Taylor nos anos 60. De acordo com o "Daily Mail", a atriz foi escalada para interpretar Cleópatra em uma nova produção dos estúdios Fox, ainda sem previsão de estreia.
Em entrevista ao "USA Today", Scott Rudin, produtor do longa-metragem, disse que Jolie tem o biotipo perfeito para o papel. O filme será inspirado na biografia ainda inédita "Rainha do Nilo, Cleópatra: Uma Vida", do escritor Stacy Schiff. O autor da obra, que será lançada em novembro nos Estados Unidos, aprovou a escolha de Jolie para o papel central. "Fisicamente ela parece perfeita."
Um porta-voz de Rudin confirmou o projeto e disse que o "filme está sendo desenvolvido para e com Angelina Jolie". O produtor traz no currículo filmes como "Julie & Julia" com Meryl Streep, "O Fantástico Senhor Raposo" e "Foi Apenas um Sonho".
Mais notícias, fotos e perfil de Angelina Jolie

Copa da igualdade começa com festa e empate entre África do Sul e México

No Soccer City tomado por 84.490 torcedores, donos da casa abrem o placar com golaço de Tshabalala, mas visitantes reagem e fecham em 1 a 1

Por Rafael Pirrho e Thiago Dias Direto de Joanesburgo, África do Sul
Foi o roteiro perfeito em uma tarde destinada a entrar para a história. Com o Soccer City apinhado de gente, a África do Sul abriu sua Copa do Mundo com uma festa barulhenta e comovente. Nem a ausência de Nelson Mandela reduziu o clima de euforia no estádio, como se cada um dos 84.490 torcedores tivesse a dimensão exata do que estava acontecendo no gramado. Sim, havia também um jogo no limite daquelas quatro linhas. E até ali dentro tudo foi desenhado para ninguém ir embora de cabeça baixa. O Mundial que celebra a igualdade começou com um empate: 1 a 1 entre os donos da casa e o México.
Após um primeiro tempo eufórico nas arquibancadas e morno dentro de campo, Tshabalala abriu o placar para os sul-africanos aos 10 do segundo, com um golaço no contra-ataque, que lhe rendeu o título de melhor da partida, concedido pela Fifa. Os mexicanos, liderados por Giovani dos Santos, responderam com Rafa Márquez, que marcou aos 34 e deu números finais à abertura da Copa.
montagem_ Rafa Márquez Siphiwe Tshabalala jogoRafa Márquez e Tshabalala festejam seus gols na abertura (Foto: Editoria de Arte / GLOBOESPORTE.COM)
A África do Sul volta a campo no dia 16, às 15h30m (de Brasília), para enfrentar o Uruguai pela segunda rodada. No dia seguinte, o México pega a França, no mesmo horário.
Clique aqui e confira as melhores imagens da partida de abertura da Copa.
Na chegada ao Soccer City, os jogadores sul-africanos já estavam em clima de festa. Ainda vestindo ternos e com suas credenciais penduradas no pescoço, eles desceram do ônibus cantando e dançando. O ritual se repetiu no túnel que levou a equipe ao gramado para o aquecimento. E a resposta das arquibancadas veio em alto volume.
Dez minutos antes do início da partida, o microfone foi para as mãos dos presidentes: o da África do Sul, Jacob Zuma, e o da Fifa, Joseph Blatter, que deram as boas vindas ao público e citaram o “espírito de Nelson Mandela”, que não compareceu ao jogo de abertura por causa da trágica morte de sua bisneta num acidente de carro.
Na hora dos hinos nacionais, o placar eletrônico do estádio pediu respeito – “Quiet, please” – e as vuvuzelas silenciaram. Por pouco tempo. Eram 16h05m no país da Copa (11h05m no Brasil) quando o México deu a saída e a Jabulani finalmente rolou. A partir daí, o barulho não deu mais trégua.
O jogo
Vestindo preto, os mexicanos só precisaram de um minuto para assustar os donos da casa. Giovani dos Santos, o filho de brasileiro que veste a camisa 17, pegou um rebote do goleiro Khune e só não empurrou para as redes porque a pressão dos zagueiros chegou a tempo.
Os sul-africanos pareciam anestesiados pela festa da torcida e pela tensão de abrir uma Copa do Mundo dentro de casa. O México aproveitou para jogar bola. Sempre pelos pés de Giovani, que participava de todas as jogadas de ataque.
O time da casa só acordou aos 16 minutos, com uma tabelinha que acabou em falta na entrada da área. Pienaar botou efeito na bola, mas jogou por cima.
Parreira jogo Bafana Bafana contra MéxicoParreira mandou o time para frente no fim, mas
não conseguiu sair do empate (Foto: AP)
Dois minutos depois, Juárez ganhou de presente o primeiro cartão amarelo da Copa, ao cortar um lançamento com o braço e retardar a cobrança. Mas os mexicanos continuavam jogando melhor, principalmente pelo lado direito, aproveitando a avenida deixada pelo lateral-direito Thwala.
Aos 26, Dikgacoi igualou a disputa dos cartões ao derrubar Giovani, que costurava pelo meio. E o lance mais bonito do primeiro tempo veio aos 31, quando Franco recebeu belo lançamento de Vela, matou no peito no meio da área e concluiu para mais uma defesa de Khune.
Com a pressão asteca, Vela finalmente conseguiu marcar, mas o gol foi bem anulado. O atacante tinha Mphela à sua frente, mas o goleiro tinha saído para tentar o corte do cruzamento. O próprio Vela criou mais uma chance aos 33, Giovani teve a sua aos 36, e Franco repetiu a dose aos 40. Nada de gol.
A África do Sul foi cobrar seu primeiro escanteio aos 41. Empurrada pelas vuvuzelas, a seleção cresceu e pressionou. Aos 42, faltou um milímetro para Mphela completar de cabeça, sozinho, na pequena área. Dikgacoi também teve sua oportunidade de cabeça, mas mandou para fora. Após um minuto de acréscimo, as equipes foram para o vestiário.
Pressão Bafana no segundo tempo
Parreira tirou o inoperante Thwala e lançou Masisela, que era titular da lateral esquerda. O jogo voltou ainda morno no segundo tempo até que, aos 10 minutos, o Soccer City explodiu. Após uma roubada de bola no meio de campo, a África do Sul trocou passes rápidos, e Mphela ligou o contra-ataque com um lindo lançamento rasteiro para Tshabalala. Ele entrou nas costas da zaga e, de pé esquerdo, deu uma pancada forte na Jabulani. Obediente, a bola foi morrer no ângulo de Perez.
África do Sul 1 a 0, Parreira vibrando no banco, loucura nas arquibancadas. Após marcar o primeiro gol da Copa, Tshabalala convidou os companheiros de time para uma dancinha à beira do campo e, em seguida, aplaudiu em direção às arquibancadas. A resposta veio com as vuvuzelas a todo vapor, público de pé e o som do "Shosholoza", hino da torcida.
O México quase deu o troco com Giovani, que fez boa jogada pela direita e soltou a bomba para Khune fazer mais uma grande defesa, colocando para escanteio. Mas apesar da entrada de Guardado no lugar de Aguilar, eram os donos da festa que jogavam melhor no segundo tempo. Modise perdeu grande chance cara a cara com Perez, concluindo pela linha de fundo.
Aos 23, o técnico Javier Aguirre mandou a campo o veterano Blanco, no lugar de Vela. Logo depois Modise entrou na área, e Rodriguez o deslocou com o braço esquerdo. Pênalti para os donos da casa, ignorado pelo juiz Ravshan Irmatov. Masilela, que tinha entrado no intervalo, levou cartão amarelo por falta violenta. E com 28 minutos o México fez sua terceira alteração: Hernández, de 22 anos, substituiu Franco.
Rafa Márquez cala o estádio
Aos 34 minutos, as vuvuzelas se calaram pela primeira vez. Guardado cruzou da esquerda, e a bola passou por todo mundo até chegar aos pés de Rafa Márquez. Ele dominou no bico da pequena área e soltou de pé direito uma bomba indefensável, mergulhando o Soccer City em impensável silêncio.
O choque sul-africano durou apenas três minutos, e as cornetas voltaram a todo vapor. O craque Pienaar, que participava de todas as ações ofensivas do time de Parreira, cansou. A dez minutos do fim, o técnico brasileiro optou por mandar a equipe à frente: tirou o meia e lançou o atacante Parker.
Quase deu certo. Aos 44, Mphela teve a chance de fazer o estádio explodir novamente, mas concluiu no pé da trave, deixando o grito de gol engasgado nos torcedores. Era o fim de uma tarde especial no Soccer City. E só o começo de uma Copa do Mundo histórica.
 

Soccer City se transforma em caldeirão na abertura da Copa

Antes do primeiro jogo do Mundial, entre África do Sul e México, estádio é palco da cerimônia que abre o maior evento de futebol do planeta

Por GLOBOESPORTE.COM Joanesburgo, África do Sul
A África do Sul deu boas-vindas ao mundo com uma cerimônia simples, alegre e repleta de cores. O Soccer City, em Joanesburgo, estádio da abertura e da final da Copa do Mundo, transformou-se num verdadeiro caldeirão. O vídeo “Terra de Contrastes”, com imagens do país e do povo sul-africano, abriu o evento antes de a bola rolar pela primeira vez no Mundial. África do Sul e México se enfrentam às 11h de Brasília desta sexta-feira (16h pelo horário sul-africano), em jogo válido pelo Grupo A.
estádio Soccer City abertura jogoColorido, gramado do estádio Soccer City recebe a cerimônia de abertura antes do primeiro jogo da Copa. No ar, os aviões da Força Aérea Sul-africana dão show (Foto: AFP)
Coberto por um painel colorido, o gramado do estádio foi o palco para a exibição das bandeiras das 32 seleções que participam do Mundial. Em forma de mosaico, o logotipo oficial da Copa do Mundo foi exibido, enquanto a imagem da taça aparecia num telão gigante de alta definição.
Dentro e fora do estádio, o público vibrou com a chegada do maior evento de futebol do planeta. As apresentações musicais deram ritmo à festa. Entre as principais atrações, o happer americano R. Kelly com o grupo Soweto Spiritual Singers, o Balé Nacional da Costa do Marfim, o cantor nigeriano Femi Kuti, o trompetista sul-africano Hugh Masekela e argelino Khaled.
GALERIA DE FOTOS: IMAGENS DA CERIMÔNIA DE ABERTURA DA COPA DO MUNDO
estádio Soccer City abertura jogoCom capacidade para 84.490 pessoas, Soccer City ficou lotado e ferveu na cerimônia (Foto: AFP)
O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela não compareceu. O motivo foi a morte trágica da bisneta Zenani Mandela Junior, que faleceu durante a madrugada após um acidente de carro na saída do show de abertura do Mundial. A informação foi divulgada pela Fundação Nelson Mandela, porta-voz oficial da família.

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh