terça-feira, 27 de outubro de 2009








   


Johnny Depp, o camaleão que salva bilheterias


Vários adjetivos já foram usados para descrever Johnny Depp. Cool, o homem mais sexy do mundo, versátil, o Marlon Brando de sua geração são alguns dos termos que costumam acompanhar seu nome. Na verdade ele tem todas essas qualidades e mais algumas que o identificam como um dos mais criativos atores do atual cinema americano.Nascido em 1963, na cidade de Owensboro, Depp abandonou a escola aos 17 anos para tocar rock. Depois de participar de algumas bandas de garagem, acabou entrando para o mundo do cinema após uma viagem a Los Angeles, onde sua mulher na época, Lori Anne Allison, o apresentou a Nicolas Cage. Sua estréia foi em 1984, no primeiro filme da série A Hora do Pesadelo. Vinte anos e muitos sucessos depois, Johnny continua com a mesma cara de adolescente quase imberbe que tem conquistado muitos corações.No entanto, foi só na década de 1990, após várias incursões em filmes para adolescentes, que Depp conseguiu se estabelecer como um ator sério. Com Eduard Mãos de Tesoura (1990), firmou uma parceria com Tim Burton que renderia bons resultados para ambos. Foi sob a batuta do cineasta e seu amigo pessoal que Depp fez alguns de seus melhores trabalhos, como Ed Wood (1994) e A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça (1999). Mas não é só com diretores que Depp costuma aprofundar seus laços de amizade. Quando trabalhou com Al Pacino, em Donnie Brasco (1998), os dois ficaram tão íntimos que passeavam juntos todas as noites após as filmagens. No ano seguinte, tornou-se amigo de um de seus maiores ídolos, o escritor outsider Hunter S. Thompson, autor do romance Fear and Loathing in Las Vegas, que serviu de base para o filme Medo e Delírio, dirigido por Terry Gillian. Nesse mesmo filme conheceu outro grande amigo, Benício Del Toro. Aliás, o trio Depp, Del Toro e Thompson vai se reunir mais um vez em breve. Del Toro estreará como diretor na adaptação de The Rum Diary, livro semi-biográfico de Thompson que terá, entre outros, Depp no elenco.Outro astro de quem se tornou amigo foi Marlon Brando, quando trabalharam juntos em Don Juan de Marco (1995), filme, aliás, que acabou confirmando o status de Depp como sex symbol em todo mundo, no papel do conquistador enveterado. Uma das condições para Depp aceitar o papel foi ter Brando como o psiquiatra. Sua estréia como diretor foi em 1997, no filme O Bravo, também escrito por ele e co-estrelado por Brando. O longa conta a história de um índio norte-americano, que após sair da prisão aceita trabalhar em um snuff movie (produção em que os atores participam de cenas de assassinato e são mortos de verdade) em troca de uma boa soma de dinheiro que deixará para sua família. O filme foi selecionado para participar do Festival de Cannes daquele ano. Mais preocupado em trabalhar com diretores e atores conceituados e talentosos do que em filmes de alto orçamento, Depp já dividiu os créditos com nomes de peso do cinema mundial. Roman Polanski (O Último Portal), Emir Kusturica (Arizona Dream), Terry Gilliam (Medo e Delírio), Mike Newell (Donnie Brasco), Lasse Hallström (Gilbert Grape - Aprendiz de Sonhador e Chocolate) são alguns dos cineastas que o dirigiram. E em breve trabalhará novamente com seu amigo Burton. Os dois planejam para o próximo ano um remake de A Fantástica Fábrica de Chocolate. Só em 2004, com vinte anos de carreira, o ator recebeu sua primeira indicação para o Oscar. Não que ele estivesse ligando muito para isso, até porque nem vive em Hollywood, mas bem longe da indústria - na França, ao lado da mulher, a também atriz Vanessa Paradis, e seu casal de filhos. Ironicamente, Depp, que fez diversos papéis dramáticos, foi indicado ao Oscar por um trabalho numa comédia de aventura, Piratas do Caribe: A Maldição da Pérola Negra. E o filme deu tão certo que arrecadou mais de 300 milhões de dólares, (custou apenas 125 milhões). Boa parte dessa bilheteria se deu ao talento de Depp, que com suas estripulias e cara-de-pau conquistou as platéias no mundo todo - tanto que o ator estrelou a seqüência em 2005. Aliás, em 2004 e 2005, Depp foi presença quase constante nas telas. O primeiro filme a chegar foi A Janela Secreta, um suspense baseado numa novela de Stephen King. Ainda neste ano, fez o papel do célebre escritor J. M. Barrie, autor de Peter Pan, no novo drama de Marc Foster, diretor de A Última Ceia. Também participa de The Rum Diary, da produção francesa Ils se Marièrent et Eurent Beaucoup des Enfants, além do filme de época O Libertino, no qual trabalhou com John Malkovich e Samantha Morton. Curiosidades:Pais: John Christopher e Betty Sue Palmer
Naturalidade: Nasceu no Kentucky, mas cresceu na Flórida
Ex-namoradas: Sherilyn Fenn, Jennifer Gray, Winona Ryder
Mulher: Vanessa Paradis

ANJOS DA LEI JOHNNY DEPP


[johnny-depp-21-jump-street2.jpg]



21 Jump Street (Anjos da Lei), foi um seriado exibido pela FOX no final da década de 1980, que consagrou o então jovem ator Johnny Depp.

FICHA TÉCNICA:

Título Original: 21 Jump Street
Gênero: Drama http://sp0.fotologs.net/photo/0/22/22/naftaleno_impuro/1182132761_f.jpg
Tempo de Duração: 44 minutos por episódio
Ano de Lançamento: 1987
Criado Por: Patrick Hasburgh
Stephen J. Cannell
Produtores: FOX
Idioma: Inglês
Emissoras: FOX (USA)
Rede Globo (Brasil)
Qtd. de temporadas: 5
Nº de episódios: 105

SINOPSE:

Neste seriado um grupo de jovens policiais se infiltravam nas escolas para investigar crimes cometidos por alunos, esse grupo era chamado de “Anjos da Lei” e faziam suas reuniões numa capela abandonada no número 21 da Jump Street (daí vem o nome da série) para receber instruções de mais uma nova missão, distribuir tarefas, reunir informações coletadas por seus integrantes e decidir qual melhor caminho para obter as provas do criminoso (ou do inocente).



ELENCO:

Johnny Depp -Tom Hanson
Michael Bendetti - Anthony "Mac" McCann
Michael DeLuise - Joey Penhall
Peter DeLuise - Doug Penhall
Frederic Forrest - Capitão Richard Jenko
Richard Grieco - Dennis Booker
Holly Robinson Peete - Judy Hoffs


INFORMAÇÕES:
A inspiração para a série foi criada a partir de um programa da Polícia Americana que atua exatamente dessa forma. Quando alguma informação chega à polícia sobre algum jovem infrator, os jovens policiais se passam por alunos do colégio. Daí precisam se aproximar do suspeito, sempre tomando muito cuidado para que ele não perceba que está sob investigação policial, o que fatalmente prejudica a missão policial.

CURIOSIDADES:
>>Johnny Depp foi convidado para fazer o papel do policial Tom Hanson mas recusou no primeiro momento. Outro ator fez então o piloto da série mas os produtores da Fox não ficaram satisfeitos com a sua atuação pois o achavam velho de mais para o papel. Johnny foi convidado novamente, aceitou e as cenas foram re-filmadas;

>>Depp não queria trabalhar com seriados, mas assinou um contrato de 6 anos com a produção da série porque acreditava que ela não duraria mais do que uma temporada, mas foi um sucesso principalmente devido à sua presença. Durante a 3ª temporada Depp estava inconformado em trabalhar para a série e abrir mão de vários convites para fazer cinema. Começou a criticar seu papel e passou a atuar com menos empenho. Com a ajuda de seus advogados, conseguiu rescindir o contrato e deixou a série após o término da 4ª temporada;

>>Nas chamadas da série nos intervalos da Globo a música que tocava de fundo era “Always on My Mind” do Pet Shop Boys;

>>Holly Robinson é cantora da música tema da série, Johnny Depp e Peter Deluise participam do coro de fundo cantando “jump”. A música foi composta por Liam Sternberg que também escreveu a "Walk Like an Egyptian" sucesso do grupo The B52's;

>>O sucesso de Anjos da Lei surpreendeu a direção da Fox, pois estavam concorrendo com grandes emissoras que vinham dominando há décadas a audiência. Tão grande foi o sucesso que a Fox conseguiu superar os índices de audiência de canais como a NBC, CBS e a ABC;

>>Doug Penhall personagem de Peter Deluise iria ser morto em alguma temporada da série mais após o grande sucesso da amizade de Doug (Peter) e Tom Hanson (Johnny Depp) na série a FOX decidiu alterar o roteiro e concertar a história.




AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh