terça-feira, 3 de agosto de 2010

Queen Anne's Revenge no mar e foto de JD como Jack

Mais um vídeo mostrando alguns detalhes do Queen Anne's Revenge, navio do Barba Negra em Piratas do Caribe 4, no mar:





E veja também uma nova foto de Johnny com o figurino de Jack Sparrow em um dos vários momentos que cumprimentou os fãs que o aguardavam antes das filmagens no Havaí: aqui.

Filmagens de P4 terminam no Havaí e nome 'Angelica'


Depois de uma movimentada, e de acordo com a equipe, "uma ótima semana" de filmagens no Havaí, a produção de Piratas do Caribe 4 se muda para o Reino Unido.

Algumas das cenas gravadas incluem lutas de espadas e Johnny dançando com Penelope Cruz no convés do navio Queen Anne's Revenge (vídeo/fotos do ensaio). Desde o início das filmagens há 15 dias atrás, o nome da personagem de Penelope ainda não tinha sido revelado, mas finalmente temos uma confirmação. A suspeita estava correta, ela se chamará Angélica.

Fonte

Mais uma foto de Johnny Depp cumprimentando fãs durante filmagens noturnas de #PiratesOfTheCaribbean 4

Alguém consegue ter certeza se alguma das "sombras" é o Johnny? :

Os melhores 30 segundos da vida de um fã

[28.02]Johnny e Tim no Friday Night with Jonathan Ross

Imagem

Assista abaixo 6 vídeos da entrevista de Johnny e Tim Burton no Friday Night with Jonathan Ross nesta última sexta-feira (26). Johnny falou sobre o Chapeleiro Maluco, Piratas do Caribe, Keith Richards, Marlon Brando e muito mais:

VÍDEO 1
VÍDEO 2
VÍDEO 3
VÍDEO 4
VÍDEO 5
VÍDEO 6

Parte 1

Ross: Bom tê-los aqui. Obrigado por virem. Eu sei que trabalham com outras pessoas, mas sempre quando penso nos filmes de [Tim] ou nos filmes de [Johnny], penso em vocês como um par. Faz 20 anos desde o primeiro trabalho em Edward Mãos de Tesoura?
Tim: Um dia dissemos que parece que trabalhamos juntos por dez décadas [risos].
Ross: Johnny era a primeira pessoa em mente para fazer Edward Mãos de Tesoura ou você estava procurando pela pessoa certa?
Tim: Eu nunca vi o seriado que ele fazia, Anjos da Lei, mas sabia sobre ele. Depois que o conheci, soube que ele era aquele personagem, que sempre era mal compreendido. Ele era aquele ''garoto poster'', mas em seu interior havia algo diferente e o personagem Edward é sobre isso.
Ross: Você era um ídolo teen na época do programa de TV, estava em todas as revistas...
Johnny: Estavam trabalhando muito no processo de criar um personagem que as pessoas engolissem. Eu fui mal representado, na realidade. Porque até onde sabia eu era um ator fazendo meu trabalho.
Ross: E você não gostou disso.
Johnny: Eu não conheço ninguém que poderia, é bem estranho... ir de não poder pagar o aluguel até essa bizarra situação, de repente.
Ross: Você decidiu mudar a direção e mudar o jeito que as pessoas te percebiam.

Parte 2

Johnny: Sim... eu queria seguir o caminho que quisesse. Eu não queria me tornar o produto de ninguém, basicamente.
Ross: Sabe, isso é muito estranho. Você está falando de um jeito muito diferente ao que estou acostumado [risos]. Eu não tenho te visto sendo você mesmo há algum tempo. Você sempre está falando ''assim, como uma pessoa maluca... Oh, meu chocolate!'' [risos]. Você faz aquelas vozes nos filmes e agora está falando como um homem adulto.
Johnny: Estranho, não é?
Ross: Eu esperava que falasse normalmente com uma ''voz do tipo Michael Jackson'' [risos]. Eu imagino que você seja uma pessoa estranha... [risos]
Johnny: Eu já fui acusado de ser estranho.
Ross: Você gosta de ser estranho?
Johnny: Eu... sabe... prefiro ir pelo caminho que prefiro. [risos]
Tim: Ele é estranho [risos].
Ross: Vindo de você é alguma coisa, porque você prefere o lado estranho da vida, não é?
Tim: E o que é estranho?
Ross: Vocês dois são [risos]. Essa parceria claramente funciona. Vocês se sentem confortáveis com ela. Mas trabalham com outras pessoas em outros filmes. Você prefere que Johnny esteja no filme?
Tim: Se eu sentir que é o papel certo e que ele vai gostar. Ele está disposto a tentar qualquer coisa. Ele também não gosta de parecer com ele mesmo e nunca viu um filme que fizemos juntos.
Ross: Você não se assiste?
Johnny: Não consigo.
Ross: Você não gosta de se ver na tela, não gosta da performance?
Johnny: Eu prefiro acompanhar a experiência do processo e apenas isso.
Ross: Você deveria assistir, pois alguns deles são muito bons [risos].
Johnny: [Alice no País das Maravilhas] eu quero ver, porque Tim foi muito além.
Ross: E essa foi uma experiência muito marcante. E não é a história do jeito que lembramos, é um angulo e um período diferentes.
Tim: Acho que vi umas 20 versões e todas tentaram ser de alguma maneira bem literais de acordo com o livro, o que fez com que os absurdos não tivessem um ar tão forte. O que gostei sobre tudo isso foi que é uma representação diferente, mas ainda com a ideia dos personagens de Lewis Carroll como me lembro, com o Chapeleiro, o Gato Risonho, personagens tão icônicos em que tentamos focar.
Ross: Um filme marcante. Há realmente coisas muito diferentes. Jane [minha esposa] adorou, e meus filhos também. Não é como um conto de fadas.
Tim: Alice é dark, sabe, há alguma coisa que diz ''beba-me'', ''coma-me'' e que você não sabe o que é. É politicamente incorreto, de alguma forma. Tem sido inspiração para músicos, artistas, e está na subconsciência de todos.
Ross: Você interpreta o Chapeleiro Maluco, que é uma pessoa maluca. Você tentou captar, não uma pessoa insana de uma maneira depressiva, mas alguém que foi tocado pela loucura.
Johnny: Sim, alguns são tocados pela loucura, mas também são confundidos por ela. A ideia é que se você é completamente louco e não sabe disso, você está livre, mas se está completamente louco e sabe disso há algum tipo de trauma, algum dano. O que tentamos fazer foi esse anel de emoções humano, ele vai de uma severa depressão a uma intensa raiva...
Ross: Como pessoas bipolares...
Johnny: Sim, esse tipo de coisa.
Ross: Eu acho que essa é uma das suas melhores performances ou a melhor performance de todas. Acho que é incrível.
Johnny: Muito obrigado.
[...]

Tim: Minhas mãos ainda cheiram a produtos químicos.
Ross: Mas isso não tem nada a ver com filme... [risos]
Como vocês mudaram ao decorrer desses 20 anos?

Parte 3

Ross: Vocês tiveram muitas experiências, ambos são bem-sucedidos e tem família. Há mudanças que vocês não esperavam ver?
Johnny: Tim tem que lutar menos para me colocar nos filmes.
Ross: As pessoas acham que você sempre foi um grande astro, mas durante anos não foi.
Johnny: Eu era o veneno das grandes bilheterias [risos] como costumavam me chamar.
Ross: É tão estranho pensar nisso agora. Acho que foi por causa de Piratas do Caribe...
Johnny: Acho que teve algo a ver, sim.
Ross: Como reagiram a sua atuação?
Johnny: Eles definitivamente se aborreceram [risos].
Ross: E você teve que sentar com eles e falar sobre?
Johnny: Sim, eu tive que sentar em uma grande sala de conferencia e falar com homens adultos sobre a quantidade de dentes de ouro e o que tinha no meu cabelo.
Ross: Eles tiveram que decidir o número de acessórios que teria em seu cabelo?
Johnny: Praticamente isso [risos]. Foi muito estranho.
Ross: Mas você deveria estar confiante que o que estava fazendo estava certo.
Johnny: Sim, estava. Eu fiz escolhas por personagens em que acreditei. Eu basicamente sentei e disse que aquele era o personagem e se não gostassem dele, poderiam sentir-se a vontade para me demitir... e me pagar [risos].
Ross: Mas foi um sucesso fenomenal e há um quarto a caminho, você confirma?
Johnny: Há um quarto a caminho, estamos vendo o roteiro...
Ross: E será o mesmo diretor? Gore Verbinski?
Johnny: É um novo diretor desta vez, Rob Marshall, que fez Nine e Chicago, um cara muito interessante.
Tim: Será um musical, não é? [risos]
Ross: Você já fez um musical, Sweeney Todd, onde cantou, pois quando você tinha uma banda há anos atrás você apenas tocava guitarra e não cantava.
Johnny: Nunca...
Ross: Você gostou da experiência de cantar?
Johnny: Não [risos] Eu fiquei incrivelmente desconfortável. Ficar a frente do microfone pela primeira vez em sua vida aos 40 anos ou isso...
Ross: E agora no novo filme, Tim te encorajou a dançar.
Johnny: Sim.
Ross: E é uma bela dança. Gerada por computadores...
Tim: O futterwacking...
Ross: Esse é o nome da dança, a propósito. Na primeira vez, quando questionaram ''Como será?'' você disse ''Ele irá futterwack''? [risos]
Johnny: Não tenho permissão para fazer, os médicos disseram para ficar longe do meu futterwacking durante um mês.
Ross: Seu covarde [risos].
Johnny: É o meu joelho.
Ross: Ok, Johnny, você não pode dançar por causa do seu joelho...
Johnny: Tim poderia mostrar um pouquinho [risos].
Tim: Não posso girar minha cabeça [risos].
Ross: Keith Richards apareceu no último Piratas do Caribe. Você está fazendo um filme sobre ele, não é?
Johnny: É algo que falamos durante anos, mas enfim tivemos um momento para nos reunir. Basicamente, é o que Keith fez esses anos, sentando por aí, conversando, nos hotéis, bebendo... Nós documentamos. Então é algo que estamos realizando juntos e fizemos durante 5 dias e deu tudo certo, ele é incrível.
Ross: Quando está perto dele você ainda reage como ''Eu estou sentado ao lado de Keith Richards!''
Johnny: O tempo todo. Quando falamos sobre épocas passadas dos Stones...
Ross: Deve haver uma chance dele não se lembrar de tudo, não é? [risos]
Johnny: Tenho que dizer que ele tem uma boa memória.
Ross: Tenho certeza que muitas pessoas quando viram Piratas do Caribe 1 e perceberam que havia parte de Keith, a ideia de ter os dois juntos era animadora e quando ele finalmente apareceu foi um grande momento!
[...]

Ross: Presumindo que gosta de filmes de piratas, quando vê outros filmes pensa ''eu teria feito isso ou aquilo''?
Tim: Não, porque eu sei o que está envolvido ao fazer um filme. Só me preocupo com o que eu estou fazendo. Mas é ótimo, pois talvez o sucesso de Johnny facilite para eu trabalhar com ele novamente.

Parte 4

Ross: É um grande risco empregar dinheiro em algo que pode ser estranho. Você tem confiança em sua própria visão?
Tim: Confiança, estupidez, ignorância, o que seja, mas é um desejo de fazer o que queremos e tenho tido sorte desde o início. Tive a chance de sempre fazer o que quero.
Ross: Você mora na maior parte do tempo aqui no Reino Unido e você na França, certo, Johnny?
Johnny: Sim.
Ross: Porque você escolheu a França e não a Inglaterra?
Johnny: A França me deu a oportunidade da verdadeira simplicidade, criar uma família, ser pai. Quando vamos para o sul, não há discussões ou escritórios de cinema, é apenas naturalmente simples e livre.
Ross: Em Los Angeles é como se a indústria tivesse dominado toda cidade, nas escolas, restaurantes...
Johnny: Para todo lugar que vou, todo lugar.
Ross: Você gosta de uma taça de vinho ocasionalmente, não é?
Johnny: Não me importo de tomar [risos].
Ross: E você tem sua própria adega?
Johnny: Não, os franceses não deixaram.
Ross: Eu pensei que tinha.
Johnny: Não deixaram que eu tivesse.
Ross: Porque você não pararia de beber?
Johnny: Eu provavelmente nunca sairia de lá [risos].
Ross: Vocês se encontram quando não estão trabalhando juntos? [Tim] está aqui no Reino Unido e vive com Helena Bonham Carter e tem dois filhos. Então, vocês se encontram, socializam, saem para beber, pescar [risos], fazem compras?
Tim: Quando estamos trabalhamos nos vemos todo hora...
Johnny: E as vezes estamos no mesmo lugar...
Ross: Já tiraram férias juntos?
Tim: Eu não tiro férias nem com minha própria família [risos] Eu teria problemas se tirasse férias com ele [risos].
Ross: Não estou dizendo para ir com ele e deixar sua família em casa [risos] Eu digo, as duas famílias. Mas provavelmente não seria como trabalhar, mas uma continuação.
Johnny: Nós provavelmente desenvolveríamos coisas como programas de TV.
Tim: Um programa de entrevistas em uma banheira [risos] Com os convidados entrando pelados na banheira.
Ross: Bom, eu estou disponível [risos].
Quando preparam um personagem vocês sempre estão ''na mesma página''. As ideias sempre batem?
Johnny: Sim, mesmo com notas no roteiro, quando sentamos para falar sobre o personagem ou sobre a cena e comparamos as anotações, algumas vezes estavam idênticas. Quando levei minha aquarela do Chapeleiro Maluco como o tinha imaginado, os desenhos estavam muito próximos.
Ross: E como Tim é como diretor? Como é a comunicação, pois acredito que você não seja muito comunicativo como diretor no set...
Johnny: Ele é, mas ao mesmo tempo ele sabe exatamente o que quer e mostra com um movimento específico com a cabeça, com as mãos.
Ross: É como uma comunicação entre parentes, como irmãos gêmeos. Deve ser frustrante quando as pessoas fingem que entenderam o que vocês querem [risos].
Tim: Já disseram que nos ouviram conversar e não tinham ideia do que se tratava [risos].
Johnny: Já disseram ''Te ouvi falar com Tim e não entendi nada''.
Tim: É por isso que é preciso nós dois irmos a um programa de entrevistas, talvez um dê sentido ao outro [risos].
Ross: Já ouvi dizer que os personagens que Johnny interpreta são como um alter ego de Tim. Você vê desta forma?
Tim: Quando faz algo você tenta ver a si mesmo, mas é só um pouco disso, pois é o ator que está fazendo, por isso que é uma colaboração. Há muito dele e talvez algumas coisas que eu sinto. Colaboração artística é assim.
Ross: Você acha que transmite a personalidade dele?

Parte 5

Johnny: Não, eu só tento não envergonhá-lo.
Tim: Esse é meu trabalho [risos] Envergonhar as pessoas.
Ross: Gostaria de perguntar... deve ter sido incrível trabalhar com Marlon Brando...
Johnny: Sim, ele era incrível, ele se tornou um grande mentor, amigo, fonte de conhecimento, era incrivelmente generoso e me apoiava.
Ross: Ele te dava conselhos?
Johnny: Sim. Teve uma vez que fui a um programa de entrevistas e me perguntaram sobre meu filhos e eu respondi ''oh, eles estão bem'' e Marlon me ligou logo depois e disse ''você não pode falar sobre seus filhos, não faça isso''.
Ross: Você trabalhou com ele em Don Juan. Você o via como alguém da família ou eram apenas negócios?
Johnny: Quando você conhece alguém lendário, um mito, há uma parte de você que fica estupefado, intimidado, mas ao mesmo tempo ele me fez sentir muito confortável. Então, ''Marlon Brando'' se tornou ''Marlon''. Ele era uma das pessoas mais engraçadas que já conheci.
Ross: Como diretor você já trabalhou com Jack Nicholson, em Batman, você se sentiu intimidado?
Tim: Não, o que é ótimo, pois fazer filmes é surreal e esse foi mais um momento assim. Eu tive sorte, houve apenas um momento em que Jack quase me venceu. Eu lhe dei uma direção bem simples, ele só tinha que sair do banheiro, era a primeira filmagem do filme ''Por favor, apenas saia do banheiro'' e ele, ''Eu fiz mais de cem filmes e você apenas dois!'' e isso quase me atingiu [risos].
Ross: Talvez você não tenha dado instruções especificas...
Tim: Era só sair do banheiro!
[...]
Ross: Que tipo de bêbado você é, Johnny?
Johnny: O constante [risos]
Ross: Você não bebe muito, bebe, Tim?
Tim: Com ele, bebo [risos].
Ross: Deixe-me perguntar sobre o próximo projeto. O próximo filme será juntos?
Johnny: Não, tenho algumas coisas, e Tim e eu estamos trabalhando no desenvolvimento de outras.
Ross: Será Dark Shadows?
Tim: Sim [...] Dark Shadows foi como uma novela sobrenatural com a mais estranha vibe que já vi em um programa.
Johnny: Sim, uma novela gótica...
Ross: Era uma história doméstica e romântica, mas havia um vampiro envolvido, certo?
Johnny: Sim...
Tim: Sim, com os piores movimentos de câmera que já vi em toda minha vida. Estranhamente, havia muitas moscas voando no rosto dos atores e eles ainda tentavam atuar [risos]
Ross: E você vai tentar...
Tim: Sim, vou encher uma sala com moscas e os atores fingirão que elas não estão lá [risos].
Ross: Você já deu a Johnny alguma ideia com que ele não se sentisse a vontade? Nós sabemos que você já o fez dançar ''futterwack'' e o fez cantar em Sweeney Todd...
Tim: Pergunte a ele.
Johnny: Eu sempre temi que ele surgisse com alguma coisa que me deixasse desconfortável, como uma dança.
[...]
Ross: Você faria uma comédia romântica?
Johnny: Não, não poderia. De jeito nenhum. [risos]
[...]
Ross: Até quando vocês acham que vai durar? Farão filmes até não poderem mais ou têm algum limite de tempo?

Parte 6

Tim: Enquanto ele ainda não assistir os filmes que fazemos juntos [risos].
Johnny: Sim... Basicamente, eu espero pelo telefonema...
Ross: Ele é seu diretor favorito para trabalhar?
Johnny: Com certeza, é como estar em casa, para mim.
Tim: Estou emocionado [risos].
Ross: Eu já o ouvi dizer a mesma coisa sobre todos os diretores com quem já trabalhou [risos].
Foi ótimo recebê-los aqui. O filme estreia em 5 de março [nos Estado Unidos]. Espero que todos tenham a chance de assistir no cinema em 3D, porque é maravilhoso, quase tão bom quanto Avatar [risos].

_________________


You Know - Johnny Depp Fan Club, a verdadeira Depp Family

Vote em Alice nos Meus Prêmios Nick!

Alice no País das Maravilhas continua na disputa como Filme do Ano nos Meus Prêmios Nick, versão brasileira do Nickelodeon Kids' Choice Awards, depois de passar pelas semifinais. Clique na imagem para votar!

Imagem

Vote também em 'Alice' como Game Favorito. É permitido votar quantas vezes quiser.

A votação acontece até setembro, quando o canal reunirá todos os ganhadores em dois grandes shows – um em São Paulo e outro no Rio de Janeiro. Os vencedores serão revelados em um único programa de TV, apresentado com exclusividade em outubro.

(o boneco do Johnny tem que ser atualizado, há várias novas tatuagens

Johnny Depp é clicado sem camisa no Havaí

Ator aproveitou folga para descansar e ler um livro
QUEM Online
Reprodução
Johnny Depp foi clicado sem camisa enquanto descansava em Maui. O ator, de 47 anos, está no Havaí para filmar o novo "Piratas do Caribe", que estreia nos cinemas em maio de 2011.

Na foto, divulgada pelo site "Radar Online", ele aparece com parte dos cabelos presos, com um livro nas mãos e usando uma bermuda bem abaixo do umbigo. Depp, que viverá mais uma vez o capitão Jack Sparrow na produção da Disney, também foi fotografado com uma toalha enrolada na cintura.

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh