sábado, 18 de fevereiro de 2017

Estreias da semana têm de indicados ao Oscar a tramas macabras

Filmes com indicações ao prêmio central e títulos que reflete a atualidade dominam a programação das salas de cinema

Em tempos de intolerância, três filmes que estreiam no circuito local prometem trazer alguns exemplos de solução, ou, ao menos, ressaltar traços inaceitáveis da sociedade moderna: A cura, Eu não sou seu negro e Minha vida de abobrinha. No primeiro, a estafa leva um executivo à busca por mais saúde nos Alpes Suíços (onde, na verdade, se encontrará com situações de terror). Já Eu não sou seu negro, indicado ao Oscar de melhor documentário, trata da espinhosa questão do preconceito racial. Por fim, a animação Minha vida de abobrinha também candidata ao Oscar (tal qual A tartaruga vermelha, outra estreia), diz respeito a bullying. Ainda nos cinemas, há de tudo — astros como Brad Pitt e Nicole Kidman, com tramas de adoção, de traição e de resgate de identidade – concentradas em longas como Lion — Uma jornada para casa e Aliados. Boas escolhas!



Paramount/ divulgação
 
A cura

Passado o fracasso retumbante, em parceria com o astro Johnny Depp, com O cavaleiro solitário, o diretor Gore Verbinski tenta se reerguer, com o thriller de mistério e terror A cura. Na fita, um executivo de empresa é convocado para resgatar o chefe da instituição do que deveria ser o paraíso de qualquer endinheirado: um local de relaxamento e de prazeres, situado nos Alpes Suíços. Vencedor de um dos prêmios Oscar mais inesperados, com a animação do longa Rango, Verbinski é lembrado pela série Piratas do Caribe e pelo remake de O chamado (2002).

 

Aliados

Dois anos depois de aparecer em filmes com elenco predominantemente masculino, casos de Corações de ferro e A grande aposta, o astro Brad Pitt volta à idealização do romantismo, ao lado da atriz francesa Marion Cotillard. Em Aliados, há crise matrimonial, na linha semelhante à vista em À beira-mar, conduzido pela ex-mulher de Pitt, Angelina Jolie. Com pontapé dado numa missão em Casablanca, sob medida para os agentes Max Vatan (Pitt) e Marianne Beausejour (Cotillard), o filme de Robert Zemeckis (Forrest Gump) é ambientado na Segunda Guerra, e lida com questões de identidade. Indicada ao Oscar, por Aliados, a figurinista Joanna Johnson é conhecida pela elaboração de roupas e uniformes para filmes como O resgate do soldado Ryan, Cavalo de guerra e Operação Valquíria.

Diamondfilms do Brasil
 

Lion – Uma jornada para casa

Candidato a seis prêmios Oscar, incluído o de melhor filme, Lion conta a história real contemplada em livro assinado pelo indiano Saroo Brierley. O reencontro de um menino (na realidade, já crescido) com a família biológica está no centro do enredo. Sunny é o protagonista do longa dirigido por Garth Davis e estrelado por Dev Patel e Nicole Kidman (ambos candidatos ao Oscar de coadjuvantes), além de Rooney Mara. Lion concorre ainda no Oscar, por fotografia, trilha sonora e roteiro adaptado.

 

Minha vida de abobrinha

Passada a trajetória em seis curtas-metragens, o diretor suíço Claude Barras fez a estreia com esta animação que venceu o prêmio de público do Festival de Annecy (a referência mundial, no segmento) e está indicado ao Oscar. Também valorizada pelo público como melhor produção europeia no Festival de San Sebastián (Espanha), a fita conta do menino Courgette que, aos nove anos, perde a mãe, ao mesmo tempo em que faz amizade com o policial Raymond. Baseado em obra do escritor e jornalista Gilles Paris, o filme mostra o cotidiano de Courgette num orfanato em que tenta reconquistar a confiança. O longa foi selecionado para a seção Câmera de Ouro do Festival de Cannes, além de ser dado, no âmbito do European Film Awards, como a melhor animação, derrotando a animação A tartaruga vermelha (outra estreia do circuito de cinema).



A tartaruga vermelha

Ganhador de prêmio especial da mostra Um certo olhar, no Festival de Cannes, o longa-metragem de estreia do holandês Michael Dudok de Wit foi construído a partir de coprodução entre Japão, Holanda e Bélgica. Chegou a uma projeção inesperada, depois de integrar o festival AnimaMundi (no segmento carioca do evento): está entre as cinco produções de animação finalistas ao Oscar, marcado para o próximo dia 26. Na trama, elaborada toda na base do silêncio, um náufrago luta pela sobrevivência, perdido numa ilha tropical.



John Wick — Um novo dia para matar

Quase três anos depois do sucesso do filme de ação De volta ao jogo, o ator Keanu Reeves volta a interpretar John Wick no filme de estreia solo do diretor Chad Stahelski. Com currículo nada econômico no dia a dia ligado ao corre-corre e pancadaria, Stahelski, muito ativo nos bastidores dos departamentos de dublês de fitas como V de vingança e Matrix, coloca o personagem de Reeves a desmantelar, na Itália, uma rede que integra assassinos, em escala global. No elenco estão John Leguizamo, o rapper Common e Laurence Fishburne.



Eu não sou seu negro

A luta em comum de ativistas de direitos sociais como Martin Luther King, Malcolm X e Medgar Evans pesa no manuscrito inconcluso do autor negro James Baldwin (morto em 1987). Remember this house, a compilação dos textos, dá base para o longa assinado pelo cineasta haitiano Raoul Peck. Com narração de Samuel L. Jackson, o longa ilustra – apoiado na recorrência de imagens de documentários, comerciais e muitas antigas produções cinematográficas – o acidentado terreno da afirmação negra nos Estados Unidos. É forte candidato ao Oscar de melhor documentário, competindo com Fogo no mar e A 13ª emenda.



via Correiobrasiliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

JOHNNY DEPP

HUMOR DA NAHH

The current mood of nahh at nahh