quinta-feira, 22 de setembro de 2016

SERIA EVA GREEN A NOVA JOHNNY DEPP PARA O TIM BURTON?

Atriz e diretor parecem ter firmado uma parceria intrínseca

Liv Ulmann para Ingmar Bergman; Bill Murray para Wes Anderson; Solveig Dommartin para Win Wenders; Brad Pitt para David Fincher; Diane Keaton para Woody Allen; Leonardo DiCaprio eRobert De Niro para Martin Scorsese; Jennifer Lawrence para David O. Russell; e Johnny DeppparaTim Burton, esses são apenas alguns dos inúmeros exemplos de parcerias duradouras que atores e cineastas estabelecem desde os primórdios do cinema até os dias atuais.
Seja um relacionamento amoroso ou fraternal ou uma conexão artística intrínseca, diretores tendem a eleger musas e musos para as suas produções, sempre os escolhendo para os papéis principais dos seus filmes, e não foi diferente com Burton e Depp nas últimas décadas. Os dois trabalharam juntos pela primeira vez em Edward Mãos de Tesoura, em 1990, e, desde então, a parceria de mais de 25 anos já soma oito longa-metragens – dos 19 da carreira do diretor! Mas será que o decaimento da fama de Depp nos últimos anos, seja devido a escolhas de trabalhos duvidosos ou pelo seu comportamento explosivo, influenciou em um suposto distanciamento entre ele e Burton?
A última produção de Burton estrelada por Depp foi o bem mais ou menos Sombras da Noite, de 2012. De lá para cá, uma atriz em particular, que parece ter personalidade e afinidade artística bastante parecidas com as do diretor, e que esteve no filme ao lado de Depp, tem, aparentemente, se tornado a sua musa! Seria isso, portanto, o fim de uma parceria com Depp ou existe espaço no coração (e agenda) do cineasta para dois musos?
Independentemente da resposta para essa pergunta, a atriz francesa Eva Green deve ter impressionado Burton em Sombras da Noite porque vai protagonizar O Lar das Crianças Peculiares, o mais recente filme do cineasta, que chega aos cinemas nacionais no dia 29 de setembro, e tem sido apontada como a nova musa do cineasta.
A admiração é recíproca
Enquanto que Burton já disse que divide com ela “uma forma complicada de enxergar as coisas” e que“ambos possuem um interesse pelo atípico”, além de falar que existe algo privado e misterioso acerca dela, incomum aos dias atuais, a própria Green já revelou que sonhava em trabalhar com Burton desde quando era uma garotinha vivendo em Paris. Sonho que ela havia concretizado em 2012, mas que se repetirá em O Lar das Crianças Peculiares.
Burton também revelou em entrevista que só conseguia pensar no nome de Green para o papel principal de Miss Peregrine, uma mulher com a habilidade de se transformar em um falcão, apesar da personagem ser descrita como uma idosa no livro no qual o longa se baseia.
Os elogios mútuos, inclusive, despertaram rumores sobre um possível relacionamento amoroso entre os dois, o que pode muito bem (ou não) ser verdade, já que, ao longo da história, várias musas se envolveram amorosamente com seus diretores, enquanto que outras não. Mas vale à pena frisar que uma fonte, supostamente amiga íntima do diretor, revelou à revista W que Green é mesmo a nova musa dele.
A atriz
Nascida em 1980 em Paris, a atriz de 36 anos chegou ao sucesso mundial logo no seu primeiro filme, com um papel bastante revelador em Os Sonhadores (2003). A atenção que a produção atraiu para a atriz garantiu a participação dela como a bond girl de Casino Royale em 2006. Dez anos depois, Green atuou em produções como 300: A Ascensão do Império, Sombras da Noite e Sin City: A Dama Fatal,voltando a atrair maior atenção em 2014 com o papel de Vanessa Ives na elogiada série de horror clássico Penny Dreadful. A série de terror, que chegou ao fim após sua terceira temporada, mostrou o verdadeiro potencial dramático da francesa e ajudou a fixar de vez a ideia de que ela é uma figura obscura e misteriosa.
Talvez sejam os cabelos escuros em contraste com os olhos verdes penetrantes de Green somados ao fato dela quase sempre vestir preto e fazer cara de má nas fotos. De qualquer forma, é quando ela veste a carapuça de obscura que mais se eleva, como aconteceu tão bem em Penny Dreadful. Mas a verdade é que ela é uma pessoa bastante tímida e ansiosa que adora ficar em casa lendo um livro e tomando um vinho e que encontrou, durante a infância, a atuação uma válvula de escape para sua timidez; o que soa como uma combinação perfeita para a persona parecida que Burton possui.
Mas claro que o fato de Green já ter expressado interesse por taxidermia e entomologia e de colecionar caveiras e insetos apenas ratifica a áurea de obscuridade em volta dela, né?
No final das contas...
… A gente não sabe se ela é, de fato, a nova Johnny Depp para o Tim Burton, mas adoraríamos que sim! Afinal, uma nova amizade, romance ou aliança artística são sempre bem-vindos e nos ajudam a enxergar vida e trabalho com uma maior animação. A soma entre Green e Burton pode render, ainda, ótimos filmes. Quem sabe, até, fazer com que as novas produções de Burton consigam chegar ao mesmo nível de qualidade das suas mais antigas; e Green como a sua musa soa como a melhor forma de garantir isso. E vale lembrar que os dois são só elogios um para o outro e que existe uma admirão mútua já declarada por eles; sem falar que Burton é do tipo de diretor que adora utilizar os mesmos atores em suas produções. Por que não então criar mais protagonistas femininas em seus longas para que Green as encarne?  

 via fiqueligado

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    AS MIL FACES DE JOHNNY DEPP

    JOHNNY DEPP

    JOHNNY DEPP

    HUMOR DA NAHH

    The current mood of nahh at nahh